terça-feira, 29 de dezembro de 2009

12 livros para ler em 2010

Os livros listados a seguir são apenas "parte" do que quero ler ano que vem. Aqui, por exemplo, não estão contemplados os livros de literatura, os ensaios etc.

Um por mês, vamos ver se consigo... São eles:

1. Amiga Cozinha
Sonia Hirsch

2. O Chamado das Árvores
Dorothy Maclean

3. Tea with Jane Austen
Kim Wilson e Tom Carpenter

4. Freyja, Lady, Vanadis: An Introduction to the Goddess
Patricia M. Lafayllve

5. Aromatherapy for the Healthy Child
Valerie Ann Worwood

6. Plant Spirit Journey: Discover the Healing Energies of the Natural World
Laura Aversano

7. Runes: Signs of the Goddess - A Woman's Guide
Susan Gitlin-Emmer

8. Women's Mysteries in the Northern Tradition: Asyniur
Sheena McGrath

9. Aromatherapy for Healing the Spirit
Gabriel Mojay

10. Aromatherapy for the Soul
Valerie Ann Worwood

11. Livro novo da Mirella Faur sobre círculos de mulheres (ainda sem nome, no prelo. Sairá pela Pensamento).

12. Livro sobre Asatru da Diaxa Paxson que será publicado no Brasil também pela Pensamento (ainda sem título).

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Influências Egípcias na Aromaterapia

Dedico este post a Iony, Gabi Trevisan e Kytanna, as "mulheres egípcias da minha vida".

Uso egípcio, grego, romano e europeu de óleos essenciais
Sharon Falsetto
28 de julho de 2008

O Papiro Ebers é um dos mais antigos trabalhos a registrar mais de cem tipos de prescrições médicas que envolviam plantas, incluindo óleos essenciais. O documento é de 1550 a.C. e foi descoberto em 1873 pelo egiptólogo Ebers, daí seu nome. O Vale do Nilo ficou conhecido como o berço da medicina; um refúgio de plantas, árvores e pequenos arbustos trazidos da Índia, Pérsia e Síria.

Os egípcios embalsamavam seres humanos e animais com sucesso utilizando plantas, óleos essenciais e resinas aromáticas. O rei Tutancâmon tinha olíbano em seu túmulo, e ele era tão potente que, quando foi aberto, 3.000 anos depois, ainda havia um ligeiro odor no local. Como se vê, os egípcios foram inovadores precoces de uma técnica rudimentar que utilizava plantas.

O templo de Edfu apresenta hieróglifos que registram o uso medicinal de plantas, incluindo a famosa fragrância egípcia chamada kyphi. O kyphi ajudava a induzir o sono, a aliviar a ansiedade e a tristeza, e agia como um antídoto contra toxinas em geral. Sacerdotes formulavam todos os tipos de medicamentos e perfumes a partir de material aromático.

Aromaterapia Grega e Romana

Influenciada pelo conhecimento egípcio adquirido com visitas ao Vale do Nilo, foi criada uma escola médica em Cos, hoje famosa pelos ensinamentos de Hipócrates (460-370 a.C.). Outro grego, Megallus, formulou um perfume chamado Megaleion, conhecido por curar feridas e reduzir inflamações. Os gregos classificaram e indexaram o conhecimento dos egípcios e contribuíram significativamente com os futuros estudos de herbologia.

Os romanos aprenderam tanto dos egípcios quanto dos gregos e depois aperfeiçoaram seus conhecimentos. Discórides (século 1 d.C.) tornou-se conhecido por registrar as propriedades de 500 plantas no livro "De Materia Medica". Como os romanos expandiram seu império por toda a Europa, esses conhecimentos também foram sendo difundidos por essa área. Tomilho, alecrim e salsa foram algumas das plantas aromáticas introduzidas na Grã-Bretanha pelos romanos.

Avicena (Ib'n Sina) (980 d.C.), um cientista árabe, introduziu a extração a frio com o intuito de melhorar o processo de destilação de óleos essenciais das plantas. Ele escreveu uma série de livros que foram amplamente utilizados até 1650, o que comprova sua influência significativa.

Uso Europeu de Plantas Aromáticas

Na Idade Média, os cruzados trouxeram para casa os perfumes e águas de flores dos árabes. Com a abertura de rotas comerciais do Oriente ao Ocidente, os europeus acabaram por difundir o uso de plantas aromáticas. Veneza era uma passagem para o comércio com os árabes, e a partir dela se iniciou o amplo uso de perfume por toda a Itália. Catarina de Médici foi responsável por difundir essa prática italiana na França ao se casar com o príncipe Henrique II. O cultivo de plantas como o jasmim, lavanda e rosa foi então estabelecido.

Nos séculos 15 e 16, os exploradores Colombo e Cortés trouxeram novas plantas consigo de volta à Europa depois de suas descobertas nas Américas. O uso de plantas aromáticas caiu no gosto popular quando a Revolução Industrial atingiu a Grã-Bretanha. Além disso, a produção em massa de fibras sintéticas ou óleos vegetais impactou o uso da “antiga" medicina.

A descoberta de René-Maurice Gattefosse, um químico francês, no início do século 20, reverteu velhas crenças e valores. Nasce então a aromaterapia, em parte por causa de suas pesquisas e também em virtude de um incidente em que sua mão foi queimada e "curada" pela lavanda.

Fonte:

Lawless, Julia. The Illustrated Encyclopedia of Essential Oils. London: Element, 1995.

Tradução: Danielle Sales.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

BANHO DE VAPOR VAGINAL COM ERVAS



BANHO DE VAPOR VAGINAL COM ERVAS

Por que fazer um banho de vapor vaginal?
Do ponto de vista físico, vapores vaginais são uma ótima maneira de limpar o útero, ajudando a remover os resíduos indesejados. Eles também ajudam a estimular o útero a se manter em uma boa posição, mais ereta.

Do ponto de vista emocional e espiritual, eles vão, literalmente, subindo através de seu chakra raiz e limpando tudo o que há pelo caminho dos chakras. Por esse motivo é possível que você tenha experiências perturbadoras ou memórias indesejáveis dos parceiros que estejam "ligados" a você enquanto toma esses banhos de vapor.

No entanto, você também pode usar os vapores para aumentar o amor ou a fertilidade em sua vida e, se o chakra raiz estiver bloqueado, os banhos de vapor podem ajudar a promover a energia de que necessita em sua vida.

Como fazer?
Para fazer um tratamento com vapor vaginal você vai precisar de um punhado grande de qualquer das ervas frescas mencionadas abaixo (ou qualquer outra combinação de duas ou mais ervas). Coloque-as para ferver em uma panela grande, com aproximadamente dois litros de água. Se as ervas utilizadas forem secas, dobre a quantidade de ervas para a mesma quantidade de água. Ferva as ervas na água por vinte minutos e retire a panela do fogo.

Coloque a panela fumegante de ervas no chão e sente-se sobre uma cadeira com buracos no assento. Seu corpo deve ficar um ou dois metros acima das ervas fumegantes. Você deve ficar nua da cintura para baixo, mas com uma toalha enrolada ao redor de sua cintura e pernas para manter o calor. Permaneça na cadeira absorvendo o vapor de ervas em sua vagina durante vinte minutos. Se sentir que o vapor está lhe queimando, remova o pote de ervas e deixe esfriar por cinco minutos.

Depois, é preciso ter cuidado com a exposição ao frio e não dormir em um quarto com ar condicionado. Mantenha-se aquecida após o banho de vapor. O ideal seria ir diretamente para a cama e cobrir-se bem por uma hora. Isso servirá para reforçar o tratamento e deixar seu corpo processar os efeitos curativos do banho de vapor vaginal. Repita o banho por cerca de 7 dias antes de sua menstruação. O processo pode ser repetido todo mês, até sentir melhora.


Sorte
Aloe Vera
Narciso
Rosa

Amor
Alecrim
Arruda
Camomila
Canela
Cardamomo
Coriandro
Gerânio
Jasmim
Lavanda
Limão
Lótus
Manjericão
Margarida
Rosa
Tomilho

Fertilidade
Gerânio
Murta
Narciso
Pinho
Visco

Cura
Alecrim
Arruda
Canela
Carvalho
Eucalipto
Rosa

Purificação
Alecrim
Camomila
Lavanda
Louro
Salsa
Tomilho

Para aumetar o interesse sexual
Oliva

Para se libertar de alguma vergonha do passado sexual
Pinho

Conexão Corpo-Mente
Calêndula
Jasmim
Rosa


Tradução: Danielle Sales

AVISO: AS informações aqui fornecidas possuem apenas fins educacionais e não se destinam ao diagnóstico, tratamento ou receita para qualquer doença. A decisão de usar ou não usar qualquer uma dessas informações é de responsabilidade exclusiva da leitora.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Entrevista com Álex sobre as AMAZONAS





1) Alexandra, você foi a única mulher que encontrei, na blogosfera, falando das amazonas com seriedade. Como você as "descobriu"? Por que se sentiu atraída por elas?

É difícil encontrar coisa "séria", primeiro por as pessoas verem as amazonas como mito ou algo que já existiu e acabou e cuja única forma de contato com seu modo de vida seria por reencenações em televisão ou simulações em jogos de RPG. Eu mesma, quando falava sobre ser amazona, encontrei algumas vezes resistência como se eu fosse uma louca. Uma garota (ou seja, mulher, que deveria ser unida e apoiar a outra) até me disse "tudo bem você gostar ou ler sobre elas, mas dizer que é uma...", enquanto, por outro lado, já encontrei garotos que desejavam ter podido nascer mulher para ser amazona. Tendo Atena como patrona no Helenismo, eu busco muito sabedoria/consciência/sensatez, então acredito que a forma mais racional de se falar a sério das amazonas é pela história, que é o que mais nos conecta ao real. Descobri as amazonas porque estudava os gregos e também por fazer um curso de mitologia indígena. No Brasil, tínhamos as Icamiabas, tribo de mulheres guerreiras. Isso é histórico, registrado. Também assisti a documentários sobre as amazonas da Europa e Ásia, li artigos arqueológicos, procurei coisas científicas que pudessem provar por evidências a possibilidade de elas terem existido de verdade. Quanto a acreditar que possa haver uma reconstrução de pelo menos parte de seus valores, posturas e atitudes perante a vida, basta ler o texto de 200 anos antes da nossa era, falando da destruição que realmente ocorreu no templo de Ártemis e dirigindo-se às "irmãs do futuro", o que poderíamos tomar como uma crença de um retorno da nação. Esse texto eu traduzi do inglês e está no blog: http://amarice.wordpress.com/2008/01/15/mensagem-as-guerreiras-modernas/ .

Ele apareceu na minha frente um tempo depois de eu ter descoberto um grupo de americanas que intencionava reconstruir fisicamente uma vila amazona, comprando terreno, dividindo tarefas, e não eram mulheres loucas, eram engenheiras, psicólogas, professoras, enfim, adultas e saudosas dessa união sagrada do feminino. Parece que o projeto não saiu do papel, e não sei se diria "infelizmente", pois acredito que somos mais úteis vivendo entre as pessoas e dando o exemplo das nossas 13 virtudes do que nos isolarmos comodamente do resto das pessoas. E atraí-me pelas amazonas porque a vida inteira presenciei ou soube de injustiças cometidas contra mulheres, humilhações e violações à alma e à dignidade de cada uma de nós sem que nada se fizesse, e não quis ser conivente e parte disso que permite que as coisas sejam assim. Outra coisa curiosa foi que a primeira viagem induzida que fiz no xamanismo (bem antes dessa história toda) eu encontrei amazonas me recebendo no mundo xamânico.


2) Para você, quem é a amazona atual?

A amazona atual tem honestidade (procurar ser verdadeira), coragem (não trair seus princípios), compaixão (generosidade), orgulho de si e de sua tribo (não orgulho excessivo, mas excelência pessoal), igualdade (como expressão de humanidade e justiça), dignidade (respeitando o valor de si e dos outros), tradição (ter um guia de vida a considerar), honra (ter palavra e cumprir com sua obrigação), independência (confiar em si e na sua consciência, mas saber pedir ajuda quando realmente precisar), força (perseverança e a certeza de que faz parte de uma força maior da causa amazona), espiritualidade (acreditar em algo sagrado, seja de qual crença for), diversidade (cada parte tendo seu propósito e contribuindo para o todo), unidade (saber ser uma família unida pelos ideais das antepassadas, uma unidade que além de virtude é proteção e forma de prosperarmos). A amazona não sai por aí fazendo alarde de si ou de suas irmãs, porque dar um aviso é como dar a oportunidade de o adversário se preparar e se armar para combatê-la. Ela conhece suas melhores armas, sabe levantar sempre que cai e estará sempre procurando lutar pelo que acredita.



3) Você tem conhecimento, no Brasil, de grupos que estudem e/ou honrem as amazonas?

Não. Conheci dois ou três grupos nos EUA que trocavam informações acadêmicas e procuravam evitar jogos/brincadeiras. Algumas inclusive foram escoteiras ou eram militares. No Brasil eu participei de algumas comunidades virtuais, mas todas acabavam ou falando de Xena ou de RPG e não levando a sério para suas vidas o treino constante para se aperfeiçoar como mulher e guerreira de verdade. (Nada contra Xena, que eu adoro, mas tenho consciência de que não é bem por ali o caminho.) Sei que existe quem leve a sério ou honre as amazonas com seu modo de vida, algumas delas visitam meu blog, mas não conheço um grupo organizado e estruturado do qual possa falar ou indicar.


4) A amazona da atualidade, na sua opinião, tem um "visual predefinido"?

O visual de uma amazona deve ser apenas reflexo de seu modo de vida e sua disposição interior. A amazona deveria se vestir com o que se sente bem, não com o que lhe dita a moda ou as proibições e perseguições do estilo "uniban" que não são de hoje que se espalham e causam pavor e traumas nas mulheres. Seu físico e sua auto-confiança serão resultado da sua busca pela excelência física e mental. Não há necessidade de se fantasiar como se fosse para um festival no bosque, porque você não vive em uma floresta, mas, se tiver oportunidade e lhe der vontade, também nada lhe impedirá de fazê-lo. Já houve uma festa de Halloween que eu fui de guerreira: coloquei bota, pintei o rosto, prendi uma adaga no cinto e me senti muito bem.


5) Para você, como se dão as relacionamentos (sexuais ou não) de uma amazona atual?

Muita gente que pensa que esse negócio de amazona é coisa de lésbica, o que não é verdade. Qualquer mulher (hetero, bi, les) que seja autêntica, honesta com quem é de verdade, que se expresse com respeito, igualdade e dignidade, e todas as virtudes que citei anteriormente, pode ser amazona. O fato de uma mulher amar outra mulher não a qualifica como amazona, muito menos se ela for das que carregam ódio pelos homens, que é uma forma de generalização injusta que não combina em nada com a proposta e postura de uma mulher centrada e que conhece a honra de uma guerreira. Os relacionamentos de uma amazona serão honestos, ela não vai esconder nem de si nem da outra pessoa em questão quem ela é, como se expressa, o que gosta, nem vai ter medo de ser quem é. Hoje em dia muitas mulheres permitem que haja uma "colonização do desejo" delas, mesmo adultas, deixando que lhe ditem a quem ela deve amar ou quando deve se entregar etc. Se ela já tem maturidade emocional, o máximo que se pode fazer é aconselhar, e não ditar regras contra o que ela sente. Por isso acaba sendo realmente mais fácil/comum você encontrar amazonas homo ou bissexuais, porque foram mulheres que disseram "não" à tentativa de lhes podarem a expressão natural do desejo que há nelas. Há uma resolução melhor do seu papel e identidade sexuais numa situação assim. E seus relacionamentos amorosos fluem com mais dignidade e cumplicidade quando isso acontece.


6) Você acha que as mulheres em geral perderam a conexão com as amazonas?

Muito do que eu diria aqui eu acredito que já desenvolvi nas respostas anteriores. Eu acho que é mais fácil você se deixar colonizar, ter alguém que lhe diga o que fazer, o que pensar etc., então elas acabam sendo levadas e vão cada vez mais sendo enredadas numa situação difícil de sair, porque se acostumam ou temem as consequências que adviriam caso elas resolvessem mudar. A liberdade tem um custo, o da responsabilidade, porque se você pode fazer suas escolhas sozinha, só você responderá por elas. Mas quando uma pessoa procura, ela eventualmente acha. Se a conexão foi perdida, ela só continua perdida para quem não vai atrás dela. Pode não ser fácil como o comodismo de ficar onde/como está, mas também vai ser mais recompensador e você vai dormir mais tranquila por saber que fez sua parte e viveu sua própria vida (não a dos outros ou a que os outros sonharam/planejaram pra você).

Obrigada você pela oportunidade e pela lembrança,
Álex.
http://amarice.wordpress.com


Eu é quem agradeço pela aula, Álex!!!

domingo, 15 de novembro de 2009

Camomila



Nomes científicos: Matriarcaria recutita (camomila alemã); Chamaemelum nobile (camomila romana); Anthemis nobilis.

Planeta: Sol

Elemento: Água

Propriedades mágicas: dinheiro, sono, amor, purificação.

Depois da lavanda, esta é a minha segunda erva preferida. Estou sempre comprando toneladas de camomila seca, mas infelizmente não tenho grana para comprar o óleo essencial (Às vezes acho que, na verdade, ninguém tem R$ 294,00 para comprar um óleo essencial de camomila...).

A camomila foi utilizada como anti-séptico até o final dos anos de 1940. Hoje ela é comumente usada em tratamentos dermatológicos (dermatite, alergias, eczema, psoríase, picadas de insetos) e também para aliviar náuseas e vômitos, acalmar dores no estômago e aliviar a indigestão e a gastrite.

Para utilizar a terminologia das plantas medicinais, é considerada anódina, antiespasmódica, aromática e estimulante estomacal. O chá é bom para cólicas com flatulência, dispepsia, febre, início da dentição e cólicas em crianças. Também se pode fazer uma boa lavagem com infusão de camomila em feridas.

E, é claro, o chá de camomila é muito relaxante e pode ajudar aquelas pessoas que têm insônia.

A camomila é rica em niacina, magnésio, fósforo, riboflavina e sódio, e também fornece cálcio, ferro, manganês, potássio e vitamina C. É rica em óleos voláteis, e suas propriedades curativas são facilmente extraídas pela água (por essa razão é geralmente ingerida em forma de chá).

Esta erva, que na linguagem das flores significa persistência, também é utilizada para a neuralgia, diarréia e reumatismo. Em forma de compressa, alivia a conjuntivite. Se a pessoa está em dieta, deve tomar cuidado com a camomila, pois ela aumenta o apetite.

Costumo fazer um escalda-pés com camomila no fim do dia, e também gosto de bebê-la com leite à noite também. Quando meu filho não está respirando bem, uso o vapor de camomila para ajudá-lo a respirar melhor.

Magicamente, diz-se que, quando “polvilhada” (em forma de pó) em volta de uma casa, ela remove maldições e feitiços contra o dono desta. Também pode ser usada em rituais de prosperidade. Se você lavar o rosto e os cabelos com camomila, diz-se que irá atrair um amante.

Também se fala que esta erva deixa as pessoas mais suscetíveis aos seus pensamentos e idéias, bem como mais dispostas a lhe agradar.

Foto: http://lilithsapothecary.wordpress.com/

domingo, 8 de novembro de 2009

Mulher em Fases (Moon Inside You) - Documentário

Há algumas semanas fiquei acordada até 1h30 da madrugada para assistir a um documentário exibido pelo canal pago GNT sobre menstruação. O nome dele era Mulher em Fases e fazia-se um grande alarme para o fato de que Astrid Fontenelle, apresentadora de um programa diário no mesmo canal, faria a narração em português.

O documentário seria exibido também na próxima terça-feira, mas, por já ter um compromisso nesse dia, lutei contra o sono para assistir a um programa tão voltado aos meus interesses.

O mote do filminho era uma mulher, Diana Fabianová, que saia pelo mundo investigando por que o fato de menstruar é tão incômodo para tantas mulheres. Esse “segredo”, assim que “descoberto”, seria revelado a uma menina mais nova, que ficaria em seu país de origem – não lembro qual é – esperando a mais velha voltar com as boas novas. Durante todo o documentário, temos a possibilidade de ver a mocinha conversando sobre menstruação, falando de si e das amigas. Interessante é o momento em que ela olha para a câmera e chora sem parar, sem saber o que está acontecendo, algo que pode acontecer conosco mensalmente um pouco antes da menstruação. Quase no fim do documentário, a menina nos confidencia sobre sua primeira menstruação.

Diana conversa com várias mulheres sobre temas como a biologização do feminino, sobre os benefícios da dança no corpo da mulher, cólicas, parto com prazer, produtos alternativos para menstruação etc. Sem dúvida, é um material muito importante para ativistas menstruais e mulheres em geral.

Inclusive, a moça vem para o Brasil conversar com o Dr. Elsimar Coutinho, aquele que defende que a mulher não deve menstruar. É estranho ver mulheres carentes agradecendo por não mais menstruarem, e me irritou demais ver o médico, falando em inglês, que nosso sangue mensal é inútil. Há um certo momento do documentário em que, sutilmente, a autora discorda desse médico, mas não espere ver algo agressivo, trata-se apenas de uma fala, que pode “passar batida” a qualquer uma de nós.

O mais gratificamente, pessoalmente, foi poder ver o rosto de uma de minhas “musas inspiradoras”, Alexandra Pope, no documentário. Ela, que é australiana, publica livros sobre o assunto e dá workshops, atualmente vive na Inglaterra e nos escrevemos de vez em quando. Um rosto calmo, uma fala gostosa e muita vontade de defender os ciclos da mulher, foi o que vi naquela face.

Algo que aprendi com o documentário foi que a indústria dos produtos para menstruação, uma indústria de 2 bilhões de dólares por ano, utiliza muito pesticidade em suas plantações de algodão. E depois colocamos isso no meio de nossas pernas.

O site do documentário é este aqui: http://www.mooninsideyou.com/. Espero que uma dia ele seja reexibido ou que o canal disponibilize-o em DVD, pois o vejo como uma ótima ferramenta educativa sobre a saúde da mulher.

Danielle Sales

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Tradição Wicca Diânica por Bruxas Feministas que Veneram a Deusa (por Z Budapest)



Esta é uma tradição somente para mulheres. Praticamos os Mistérios das Mulheres. Celebramos as estações da vida e nosso lugar no círculo do renascimento.

Esta tendência de veneração, mulheres juntas em oração, está presente em todas as tradições étnicas. Os Mistérios Espirituais das Mulheres é a essência da comunidade, onde mulheres cuidam de questões importantes, abençoam as crianças e a casa, providenciam proteção psíquica contra coisas ruins, mesmo fazer chover se houvesse uma seca.

Esta atividade somente das mulheres criou uma rica cultura de bordado, arte de cozinhar e assar, festejar e dançar.

Entendemos a Deusa como um Fluxo circular/Origem de toda a vida. Vemos o masculino e o feminino unidos na Mãe que pode criar iguais a Ela (filhas) e diferentes Dela (filhos). Ela é a Árvore da Vida.

Por essa razão em seus olhos todas as criaturas vivas partilham Sua essência divina. Ela é o começo e Ela é o fim. Além da Mãe Natureza há mais natureza. Ela é perpétua e auto-gerada.

O círculo dentro do círculo, Seu símbolo é a espiral assim como nosso DNA, tudo vem Dela e tudo a ela retorna, no final. Em outras palavras, nós concordamos com o novo cientista que vê o universo como uma imensa entidade reciclável, tudo que nós vemos fora há, também, dentro de nós, nós somos feitos da mesma matéria que as estrelas.

Somos as crianças das estrelas, raras, complexas e belas.

Como diz minha canção, que é bem conhecida no mundo todo:

“Nós viemos da Deusa
E a ela retornaremos
Como uma gota de chuva
Fluindo para o oceano.”

A Deidade

Nós honramos o Princípio Feminino do Universo de dez mil nomes. Isto é muito importante. É onde somos diferentes das demais tradições e religiões. Muitas das religiões têm um tipo de panteão com um nome importante ou um código para a deidade. Nós, como mulheres, não somos obrigadas a esse modo rígido.

Cada cultura tem dado à Deusa um nome com suas próprias imaginações, e isto continua a acontecer sempre.

Porém, nós somos humanos e precisamos quebrar este conceito em aspectos com os quais possamos nos conectar. Desde que entendemos a Mãe Natureza como Deus, Suas estações, sua natureza, todos os merecidos e diferentes aspectos se completam com nomes e características, refletindo nossa aventura terrena do berço até a sepultura.

Os aspectos frequentemente mais invocados são: a Deusa Donzela: Diana – Ártemis – Luna – Atena... a Deusa Rainha Mãe: Hera – Juna – Minerva – Nu Qua – Kwan Yin... a Anciã: Hecate – Magera – Kali – Innanna.

O que é UMA BRUXA DIÂNICA?

Uma mulher que venera a Deusa em suas muitas faces. Diânicas não têm que ser leais a apenas um aspecto da Deusa, você pode se conectar a quaisquer deles, a qualquer hora.

Você pode pesquisar e encontrar aspectos do Princípio Feminino do Universo que nós nunca ouvimos antes. No final, vemos todos os aspectos da Deusa como um só. Diânicas não são inseguras se você atende alguma igreja patriarcal, se você venera quaisquer outros deuses, mesmo deuses masculinos, pois a prática pessoal delas é a Deusa e somente para mulheres.

É importante que as mulheres tenham alguma coisa só delas, sua própria espiritualidade, sua própria cultura, seu valioso self interior. A Tradição Diânica promove a força nas mulheres e uma visão delas mesmas como divinas e completas/seres humanos inteiros.

(Traduzido por Aphrodisiastes, a quem agradeço por permitir a publicação aqui.)

terça-feira, 20 de outubro de 2009

A PÍLULA E OS CICLOS NATURAIS DO FEMININO


A PÍLULA E OS CICLOS NATURAIS DO FEMININO (porque uma das melhores maneiras de amar seu corpo é conhecê-lo!)


A cada dia vejo mais mulheres que querem parar de tomar pílula anticoncepcional. Quase todas, no entanto, não sabem dizer quais são os efeitos desses medicamentos em seu organismo. Só sabem que querem parar de tomá-las, pois geralmente sentem um mal-estar associado a esse tipo de medicamento.


No entanto, mesmo com essa consciência, tememos parar de tomá-la, pois são elas quem regulam nossos ciclos, deixam nossos rostos sem acne, nos livram das cólicas e não nos deixam engravidar.


Acima, listei os motivos pelos quais continuamos a ingeri-las. Mas veja a seguir uma lista dos problemas causados pelas pílulas:


1) depressão;

2) mudança de humor constante;

3) enxaqueca;

4) fadiga crônica;

5) falta de desejo sexual;

6) osteoporose e ossos quebradiços;

7) câncer.


Pense, a partir de agora, que as pílulas são hormônios sintéticos que você está colocando dentro do seu corpo. Medicamentos tomados por via oral acabam com o nosso fígado, imagine se tomados por anos e anos a fio, como as pílulas anticoncepcionais!


O anticoncepcional é uma droga, criada para interferir com uma das funções naturais de seu corpo, que é a fertilidade, a capacidade de engravidar. E o mais estranho é que ele é tomado, em geral, por mulheres jovens, que não apresentam problema de saúde algum. Isso não é estranho?


Dizem que é o medicamento mais usado no mundo todo, ingerido por nada mais nada menos que 300 milhões de mulheres do planeta. Você acha que os laboratórios farmacêuticos contariam a você que os anticoncepcionais afetam o processamento dos nutrientes que ingerimos, que elevam o risco de trombose e embolismo pulmonar? Eles podem colocar isso na bula, mas diga-me quem lê as bulas e as leva a sério?


Não se deixe iludir por essas “pílulas de nova geração”, “minipílulas” ou “de baixa dosagem”. Todas contêm hormônios demais mesmo que tenham essa denominação, fazendo com que as mulheres tenham dificuldades de engravidar quando sintam que chegou o momento.


Ao tomar a pílula, não podemos esquecer que estamos interferindo nos ritmos e ciclos naturais de nosso corpo, adicionando neles até 4 vezes mais hormônios do que os produzidos naturalmente por nós.


Parar de tomar a pílula significa nos responsabilizarmos por nossos corpos novamente. Será uma idéia tão radical assim reconhecer o ciclo menstrual como intrínsecos à saúde física e psicológica da mulher?


Observar-se e decidir o que faz bem ou não ao seu corpo é, sem dúvida, uma rica experiência feminina, que vale a pena tentar.


Danielle Sales

16 de agosto de 2009

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Dez dicas mágicas para usar a manjerona


Manjerona (Origanum vulgare)



Gênero: Masculino

Elemento: Ar

Planeta: Mercúrio

Direção: Leste

Deidades: Vênus, Afrodite, Anubis, Asclepius, Brahma, Buda, Dhanvantari, Ganesha, Hermes, Iris, Loki



Corpo: Fertilidade, aterramento, saúde e cura

Mente: Liderança, amor, impedir qualquer tipo de violência

Espírito: Compreensão




Propriedades mágicas: saúde, proteção, amor, felicidade, dinheiro, alegria, segurança, abundância, paz, celibato, sono, erva que pode ser utilizada em funerais, handfastings, casamento, atração.


Mulheres grávidas devem evitar a manjerona, pois ela pode causar irritação uterina grave, apesar de geralmente ser uma erva culinária segura, utilizada para tratar tensão nervosa, ansiedade, artrite, asma, constipação, insônia, problemas menstruais, enxaqueca e reumatismo.


Richard Webster, em seu livro Flower and Tree Magic, diz que a manjerona representa modéstia.


Dez dicas mágicas para usar a manjerona

1) Adicione em todos os encantos e sachês de amor.


2) Coloque um potinho de manjerona em sua sala para proteger a casa. Renove os potinhos todo mês.


3) Dê um vasinho de manjerona de presente a uma pessoa para trazer felicidade.


4) Coloque manjerona sob seu travesseiro (fresca é melhor) para sonhar com um futuro amor.


5) Quando estiver se sentindo pouco à vontade e com uma grande necessidade de acalmar o espírito, beba uma xícara de chá de manjerona que tenha sido mexida no sentido anti-horário (banimento), dizendo: "Que cesse a ansiedade, que seja liberada a tensão!”.


6) Antes de adicionar a manjerona a sopas e receitas, visualize sua família feliz.


7) Cheirar a manjerona por alguns segundos antes de qualquer tipo de rito facilita a consciência ritual.


8) Adicione manjerona aos alimentos para fortalecer o amor.


9) Se cultivada no jardim, a manjerona oferece proteção contra o mal.


10) Um amuleto contra resfriados para os tempos frios deve incluir manjerona e violeta.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Meus novos livrinhos






Estes são meus novos amiguinhos. Chegaram semana passada, após longas seis semanas de espera - sou ansiosa demais, sorry!
O Herbal Almanac é o que mais amo. Fiquei contente por ver que, na minha estante, esta é a quarta edição. Gostaria de ter dinheiro pra comprar os volumes até 2006, mas, como são livros usados, cada pessoa vende um ano na Amazon. Já pensou pagar o frete para cada um deles???
No Herbal Almanac de 2010 há dois textos da minha professora de ervas norte-americana. Um deles se refere exatamente ao que estou estudando agora: potions and brews (a arte de fazer infusões, xaropes etc.). Aliás, estou louca para aprender a técnica da infusão a frio, seus objetivos, resultados etc.
O Whispers from the Woods foi um dos livros sobre magia com árvores que mais me pareceu "internacionalizado", após longa pesquisa. Por isso está aqui em casa agora.
Já o Sea Magic eu comprei por ser da mesma autora que o Whispers from the Woods. Tenho certeza de que vou aprender muito com ele, ainda mais na próxima estação, o verão.

domingo, 27 de setembro de 2009

Um presente do meu filho


Hoje meu filho me deu um presente. Ele fez um lindo sachê com manjericão fresquinho dentro. (Enquanto escrevo aqui, ele acabou de me contar que também colocou hortelã e algodão.)
Para enfeitar, pôs uma florzinha de lavanda e também um pedacinho de samambaia. Ele mesmo escolheu a cor do saquinho. Vejam que lindo!
Um presente fofo de alguém que eu amo muito. Vini, a mamãe te ama!


sábado, 26 de setembro de 2009

Bloddeuwedd - Deusa da Sedução e da Escolha


Sempre achei que algumas deusas vêm até nós por algum motivo especial. Ficamos pensando que nós as achamos, mas elas é quem nos acham (rs).


Foi assim que, por motivos de estudo, conheci Bloddeuwedd. Queria aprender mais sobre deusas nórdicas, e o único curso que achei misturava as nórdicas e as celtas, ou seja, para chegar nas nórdicas, vou ter de estudar ao menos quatro celtas. Estava achando isso um saco, até que conheci Blodeuwedd (que se pronuncia Blodaiuédh).


Vou tentar não me alongar muito na parte do mito, pois a característica desta deusa que mais me interessou foram... as plantas! (Não estou dizendo que nada mais nela é interessante, continue lendo.)


Esta deusa foi criada por um mago para Lleu, que estava sob uma maldição, a fim de que se casasse com ele. Eles se casam, mas ela se apaixona por Gronw. Juntos, ela e o amante armam uma emboscada para conseguir matar Lleu, mas este foge e vira uma ave. O mago do início da história consegue achar Lleu e o transforma em humano novamente. Obviamente, Lleu vai atrás dos amantes. Gronw transforma Bloddeuwedd em uma coruja, que é o totem da deusa até hoje. Como eu adoro coruja, já simpatizei de cara com ela (rs). Até hoje as corujas são chamadas de Bloddeuwedd em galês.


Ela foi criada com as flores de nove plantas, a saber: giesta (proteção e purificação), bardana (afastar maus espíritos e energias ruins), flores do campo (gentileza e amor natural), prímula (traz o verdadeiro amor), urtiga (estimula desejos e paixões), espinheiro (traz pureza de espírito), flores do carvalho (vigor e força; fertilidade), castanheiro (permanência do amor) e feijão (bênçãos da Deusa sobre toda a criação). Por isso, também é chamada de Flowered Face Goddess (Deusa da Face Florida).


Embora eu tenha lido em diversas fontes que esta Deusa está associada à primavera (talvez pelo fato de a deusa ter sido feita de flores), não consigo muito vê-la assim. Estar aqui escrevendo sobre ela quatro dias após o início da primavera é apenas uma coincidência (rs). Aliás, também me causa estranhamento vê-la cultuada na Lua Cheia, e não na Lua Nova (sua hora de poder é o amanhecer).


Eu a cultuaria na Lua Nova porque, para mim, além de ser uma deusa muito ligada às sombras, também se vincula à transformação, às alterações, transformações e variações.


As feministas dizem que Bloddeuwedd foi uma vítima, mas muitos não acreditam nisso. Ela foi uma mulher forte, que fez uma escolha. Também não a enxergo como vítima. Para mim, Bloddeuwedd é muito mais poder do que fraqueza.


Esta Deusa veio para me ensinar que o equilíbrio e a transformação são dois aspectos necessários na vida. Como diz Michelle Skye, "We are all made up of flowers and owls". Todos temos luz e sombra dentro de nós, só precisamos aceitar os dois.


Bloddeuwedd governa as flores, a magia lunar, os inícios, a independência, mistérios e as iniciações. Deve-se invocá-la para a descoberta de traições, iniciações, superação de desafios e vencer inimigos.


Se eu não fizesse o curso, não teria a oportunidade de estudar esta deusa criada de plantas maravilhosas, mágicas e curativas!



Fontes: muitas informações deste texto foram retiradas das páginas 84 a 87 do livro Todas as Deusas do Mundo, de Claudiney Prieto, bem como do livro Goddess is Afoot!, de Michelle Skye.

sábado, 12 de setembro de 2009

Meu sonho de consumo atual



Esses dias eu fiz um "sun tea". Nesse tipo de chá, em vez de usar o fogo, você usa a energia do sol. Você coloca as ervas num pote, tampa, deixa no sol de 3 a 5 horas e depois toma. Mas é preciso ter muito cuidado, pois há estudos que comprovam o fato de que, desse modo, a infusão fica mais propensa a bactérias.


Minha professora do curso de ervas falou que existiam recipientes específicos para fazer esse tipo de chá e dei uma busca na Internet. Achei então um site que vendia vários modelos e me encantei com esse da foto.


Pena que é caro, e acho que também é delicado importar um recipiente de vidro como esse (ainda mais o modelo de que gostei, que é fininho).


Bom, eu vou ficar por aqui sonhando com ele (rs). Se quiser, dê uma olhada em outros modelos aqui.

domingo, 6 de setembro de 2009

Selo "Seu Blog é Mágico"


Não sou muito adepta dos selos, mas não pude resistir a esssa fofura que a Luciana Onofre (blog Crianças Pagãs) enviou.


Minhas respostas para as perguntas:
1) Música mágica: Bachelorette, da Björk
2) Filme mágico: Coração de Tinta
3) Viagem mágica: qualquer floresta
4) Arte mágica: A arte da Adriana Carvalho, que me foi apresentada pela Luciana, é realmente mágica!

E minhas indicações:

sábado, 15 de agosto de 2009

Curiosidades sobre as árvores

Estava eu folheando uma revista quando vi uma propaganda da revista Superinteressante sobre as árvores. Ela começava assim: Para as friorentas, lenha. Para as calorentas, sombra. Na página seguinte, havia um Para a leitora da Super e, embaixo, o que uma árvore significa para a leitora da revista:

* A copa das árvores abriga 70% das espécies de uma floresta tropical - numa única árvore da Amazônia foram encontrados 1.200 tipos de besouros.

* Entre 2000 e 2005, o Brasil foi responsável por 42% das florestas desmatadas no mundo. O ritmo de desflorestamento no país é 6 vezes superior à média mundial.

* Quase 95% dos brasileiros nunca viram um pau-brasil. Mas a madeira continua sendo exportada: ela é usada na confecção de arcos de violino, na Alemanha.

* Um bom lugar para se proteger de raios é dentro de uma mata fechada. A diversidade de tamanho das árvores reduz a chance de você ser atingido.

* 70% da madeira ilegal da Amazônia é destinada à construção civil. Desse total, quase metade vira estrutura de telhado.

* A cruz em que Jesus morreu provavelmente foi feita de oliveira. O único cadáver encontrado de uma crucificação da época possuía fragamentos dessa madeira.

Por trás da propaganda, a mensagem de que a leitora dessa revista é mais bem informada. Como se uma mulher que pensa na árvore como meio de ter sombra ou lenha valessem menos. Por milênios, homens e mulheres só pensaram nas árvores nesses termos, e acho que isso não quer dizer que valessem menos do que nós, "as superinformadas".

Mas convenhamos: você não gostou de saber que pode correr para baixo de uma árvore em caso de tempestade? (rs) Minha avó sempre me disse para fugir delas quando estivesse chovendo muito, mas, pelo jeito, isso deve ser mito. Ou não. Confio mais na minha avó do que na Superinteressante (rs).

Sobre a questão do desmatamento, acho que esses números são grandes porque são proporcionais ao tamanho de nossa área verde. Ou não?

E sobre os arcos de violino: em Paraty também tem um monte de réplicas do Cristo Redentor feitas em pau-brasil sendo vendidas.

Nunca pensei que um anúncio de revista iria me trazer tantas questões. Bom, agora os leitores do blog (e eu) sabemos um pouco mais sobre as árvores. Sem perder nosso senso crítico, é claro.

Minha cozinha


Segundo Luciana Onofre, esta deveria ser a minha cozinha. E eu assino embaixo, porque é belíssima!


quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Olíbano




Nomes científicos: Boswellia carterii e Boswellia thurifera

Eis-me aqui escrevendo sobre o olíbano (conhecido também como frankincense ou frankincenso).

O olíbano é uma resina da parte sul da Arábia. Os chineses o utilizam em forma de pó e em chás (uso interno) como cura para o reumatismo e cólicas menstruais. O uso externo servia para ferimentos em geral, já que é um poderoso antisséptico. Pelo que me consta, esse uso interno era feito pelos antigos. Não tenho relatos sobre o uso interno atualmente, portanto NÃO TENTE TOMAR CHÁ FEITO A PARTIR DA RESINA DE OLÍBANO!!!

Magicamente falando, é dedicado ao deus Rá e a Baal.

É muito bom para usar em ambientes carregados, já que é um poderoso purificador, com a vantagem de também ser protetor. Você pode usar para consagrações, exorcismos, para "chamar" espíritos e também na meditação, já que ajuda a se concentrar.

Aconselha-se utilizá-lo para seu crescimento espiritual (que é "acelerado" por ele) e também para atrair sorte. Acalma e clareia as idéias.

Em termos medicinais, ajuda a aliviar bronquite, tosse e laringite. Mas é para usar a fumacinha do incenso, não é para tomar.

De acordo com Richard Webster (2008), "os antigos romanos acreditavam que a fragrância desta resina queimada, junto com a verbena, faria a mais fria das mulheres ter seu desejo sexual de volta".
Para finalizar, uma dica prática: tenha um pilão só para as resinas. Esse negócio gruda no pilão e parece que nunca mais sai. Se alguém tiver uma dica de como retirar resinas do fundo do pilão, eu aceito (rs).

Planeta: Sol

Gênero: masculino
Informações atualizadas pela Inês, do blog Stregheria Prática: o olíbano também é oferenda para Ares (deus da guerra) e para Themis (deusa da ordem universal).

quarta-feira, 15 de julho de 2009

exposição Cuide de Você - Sophie Calle


Aguardava com ansiedade a exposição “Cuide de Você”, da artista plástica francesa Sophie Calle, no Sesc Pompéia, aqui em São Paulo, a despeito de todo horror que tenho pela língua francesa.

Para quem não sabe, tudo começou quando Sophie recebeu um e-mail de seu namorado, o escritor Grégoire Bouillier, terminando com ela (a carta está aqui, no fim da página).

Munida de sua dor-de-cotovelo colossal (rs), a artista enviou o texto para 107 mulheres, das mais diversas profissões, para que fosse analisado.

Na exposição, além das fotos de algumas dessas mulheres (algumas preferiram não ter seus rostos expostos, creio eu), há o “veredito” de cada uma. Por exemplo, a revisora critica o texto do escritor, dizendo-o repetitivo. A advogada diz que ele é egoísta, narcisista e por aí vai. Poucas são aquelas que não o criticam. Tem até uma vidente que tira o tarô para esse relacionamento interrompido, bem como uma atiradora que fura três vezes a tal carta.

Vale dizer que, para minha sorte, foi distribuído um caderninho com as traduções do francês, ou eu não teria entendido nada (o caderninho está aqui).

O depoimento mais sincero sobre a carta, na minha opinião, foi o da própria mãe de Sophie Calle, que disse, entre outras coisas, que ainda bem que ela não era velha e estava sendo trocada por uma mais nova e que, no amor, é assim mesmo: as coisas têm princípio, meio e fim... Que a filha era bonita e que não deveria se importar tanto com isso. Sábia mãe de Sophie Calle!!!!

Há também vídeos de várias artistas interpretando as cartas. Desculpe-me, mas a maioria das interpretações é chata e longa. Assisti a três ou quatro e saí correndo. Acho que não sou uma boa apreciadora de arte.

Agora o que mais me revoltou foi ter lido que a artista plástica e o escritor se encontraram na Flip (Feira Internacional do Livro de Paraty) e foram vistos de mãos dadas!!!! Eu sei que eles são adultos, podem voltar a namorar quando quiserem, mas a mulher fez uma exposição convidando todas as outras mulheres a compartilharem sua dor, transformou tudo isso num espetáculo e agora tem a pachorra de vir para o Brasil, justamente onde a exposição está, e ficar de chameguinho com o cara!

Como eu sou cara de pau, falei isso para o monitor da exposição. O rapaz, do alto de sua ingenuidade, disse que isso era impossível, que eles eram apenas amigos. Então eu perguntei a ele se ele andava de mãos dadas com os amigos por aí, porque eu mesma não tinha mais idade para isso.

Não convencido, pediu licença e foi embora, me deixando com cara de idiota (ok, alguns de vocês podem dizer que eu mereci isso).

Sempre gosto de ter o livro das exposições a que vou, mas dessa vez não dei um centavo do meu rico dinheirinho para Dona Sophie Calle.

Site da exposição http://www.sophiecalle.com.br/

Crédito das fotos utilizadas neste post: http://minasdeouro.glamurama.uol.com.br/tag/cuide-de-voce/

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Crianças de agenda cheia


Na minha vida, de um modo ou de outro, sempre vejo mães atolando seus filhos de coisas para fazer. É escola de manhã, de tarde tem balé, natação, futebol, judô, inglês... Isso quando não os colocam em cursos aos sábados, e as crianças vão se esquecendo de apenas ser.

Entendo que muitas mães (aquelas que têm condições, é claro!) queiram preparar a cria para o futuro, alegando que se hoje, com faculdade e pós-graduação, já é difícil conseguir um emprego, imagine o que uma pessoa "despreparada" poderá "conseguir" no futuro. Por experiência própria, sei que algumas de nós tentam fazer esse tipo de coisa até mesmo para compensar a falta que fazemos às crianças, correndo atrás de nossas carreiras.

Infelizmente, assim, crianças ficam sem tempo até para brincar!

Algumas fazem suas refeições correndo para não "perder" a próxima atividade, esquecendo-se de que esse é um grande momento de conexão com a natureza, em que ela deveria honrar os alimentos que são oferecidos a ela e partilhar com a família, com seu círculo, um momento sagrado.

Essas questões já estavam em minha cabeça há algum tempo, e ontem, lendo uma entrevista da psicanalista Maria Rita Kehl no Estadão (ela está lançando um livro chamado O tempo e o cão — A atualidade das depressões - Boitempo Editorial, 304 pp., R$ 39), consegui achar algumas respostas para esse fenômeno:

"O que me preocupa é que, na tentativa de fazer render o tempo desde o começo da vida, hoje os pais de classe média e alta começam a educar seus filhos seguindo o mesmo princípio da agenda cheia. Algumas dessas crianças de compromissos se tornam insatisfeitas, dependentes de estimulação externa, incapazes de devanear e inventar brincadeiras quando estão desocupadas."

"A ansiedade materna, bem antes de se manifestar como expectativa pelo desempenho da criança, tem a ver com a presa em mantê-la sempre satisfeita. Mas a melhor forma de amar uma criança não é impedir que ela conheça a falta: a falta é constitutiva do aparelho psíquico. Ela não pode faltar! A criança começa a virar gente (sujeito) ao inventar recursos simbólicos para lidar com o vazio e a insatisfação."

Os grifos são meus. E esta foi uma pequena reflexão sobre o futuro de nossas crianças.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Post Especial # 100 - Meu altar no banheiro

As pessoas têm curiosidade em saber quem é a Green Womyn. Não vou mostrar minha cara aqui, mas alguns itens do meu "bathroom altar" (altar no banheiro).

Olhem só que oportunidade! (rs) Vocês estão entrando, agora, no banheiro da Green Womyn!



Sem brincadeiras agora: este foi o resultado de um curso sobre banhos que terminei há pouco tempo.

Na porta, uma colagem tosca (eu não tenho habilidades manuais) para a Deusa do meu banheiro: Afrodite. Com elástico de rendinhas nas pontas da cartolina rosa e tudo.

Depois, um relógio temático - que eu já tinha antes de fazer esta aula - para não perder a hora.

A terceira foto é um minialtar para Afrodite, com pérolas de rio rosas e perfuminhos doces. E tule, é claro!

Por fim, uma fonte de pedra, representando o elemento água (obviamente) e também o elemento terra, que são os elementos que mais rolam por aqui. (Sim, eu sei que ainda preciso de objetos para representar o fogo e o ar...)



sábado, 13 de junho de 2009

Manifesto Madrepérola

Segue, abaixo, o Manifesto Madrepérola, da querida amiga Celia:

"1. nós nos comprometemos a atuar em rede e em favor de todas as mulheres, evitando criticar de forma depreciativa qualquer uma de nossas irmãs, evitando deslegitimar suas posturas, momentos de vida e opiniões,e ao invés disso, oferecendo bases de identificação, compreensão e abertura ao diálogo mesmo quando não concordamos com elas;

2. nós nos comprometemos a apoiar de forma pessoal, emocional, moral ou qualquer outro tipo possível, mulheres passando pro processos de gravidez, parto, puerpério, amamentação e criação de filhos, compreendendo a tarefa de acolher e nos responsabilizar de forma coletiva por nossas crianças como um todo;

3. nós nos comprometemos a trocar com outras mulheres, nossos conhecimentos de qualquer espécie, nosso tempo, o produto de nossos ofícios, objetos e serviços sem o uso de moeda corrente;

4. nós nos comprometemos a debater em profundidade todos os assuntos de interesse da mulher, sejam de ordem privada ou pública, preservando o respeito e a legitimidade de todas as vozes femininas em seus discursos;

5. nós nos comprometemos a buscar visões mais femininas acerca de nossos próprios corpos, acerca da imagem de nossos corpos na sociedade e na mídia, e acerca de processos físicos particulares como menstruação, gravidez, amamentação e menopausa, visando acima de tudo diminuir a patologização e ahomogenização desses processos e promover o conforto da mulher em seu corpo;

6. nós nos comprometemos a buscar soluções de saúde e de cura, para nós e o planeta, que ao mesmo tempo resgatem conhecimentos antigos privilegiando os transmitidos por outras mulheres e inovem de forma holística superando a visão fragmentada e mecanicista de saúde e bem-estar;

7. nós nos comprometemos com o momento atual da terra e com a busca de soluções cooperativas, relacionais, amorosas e de cuidado, abandonando os comportamentos exploratórios e depredatórios da sociedade atual;

8. nós nos comprometemos com as plantas, animais e toda a vida na terra, com a proteção de espécies e habitats naturais, com a proteção da água e com um crescente senso de respeito em relação à soberania e direito àexistência de todas as formas de vida;

9. nós nos comprometemos com nossos filhos e filhas, rompendo com a transmissão fácil dos paradigmas vigentes e com a terceirização de nossas crianças, contando para isso com uma rede de suporte educativo entretodas as mulheres interessadas;

10. nós nos comprometemos com o desmantelamento de tudo o que é nocivo na sociedade em que vivemos, e com a criação e suporte a todo tipo de redes paralelas que valorizem uma existência sem consumismo, competição ou comportamentos predatórios;

11. nós nos comprometemos com a acolhida -especialmente mental e emocional- de outras participantes do manifesto, independente de diferenças individuais e do ponto em que estejam no processo de retorno aofeminino;

12. nós nos comprometemos com a queda de estereótipos sobre o feminino, superação de falsas dicotomias (positivo-negativo, natureza-cultura, sexual-espiritual entre outras) que localizam o feminino em oposição aoque simboliza o bom, desejável ou normal."

Coletivo Madrepérola

O que mais posso dizer sobre este belíssimo manifesto?!? Junte-se a nós!!!!!

domingo, 7 de junho de 2009

Juliette de Levy Bairacli


Faleceu, na semana passada, no dia 28 de maio, uma grande herbalista norte-americana: Juliette de Levy Bairacli.

Eu não conhecia o trabalho dela. Até que um dia, fuçando na página de uma das minhas herbalistas preferidas, Susun Weed, cheguei até seus livros e li um pouco de sua história.


Juliette nasceu em 1912 e se foi sem dores. Sou grata a esta mulher por ter deixado ao menos cinco ous seis livros publicados, além de um vídeo.

Para quem curte os bichinhos, Juliette foi pioneira em tratamentos herbais para animais.

Neste ano, também faleceu um renomado herbalista chamado Michael Moore (homônimo do documentarista norte-americano especializado em criticar a cultura norte-americana). Se quiser ler uma homenagem de Kiva Rose, herbalista da qual também gosto muito do trabalho, clique aqui.

Dois grandes herbalistas mortos em um só ano? Muito triste...

Mas também me entristece saber que no Brasil não há pessoas como eles. Sei que aqui os grandes herbalistas são pessoas simples, que moram no mato e herdaram a tradição de suas famílias, mas gostaria de ver também pessoas que sistematizessem seu trabalho com ervas, escrevendo livros, oferecendo as tais das herb walks (caminhadas em que o herbalista vai identificando cada erva e explicando para o que elas servem, além de dar dicas sobre ecologia etc.), criando escolas de herbalismo...
O herbalismo perdeu duas grandes figuras este ano [o anarquismo também, já que meu querido amigo Edgar Rodrigues se foi em 14 de maio deste ano, dia em que meu filho faz aniversário]. Dividiram tudo o que sabiam, e agora cabe às gerações mais jovens continuar o trabalho dos pioneiros.

domingo, 31 de maio de 2009

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Hortelã 1

Eu não sou tão fã de hortelã, mas meu filhote adora. E eu acho muito difícil cultivá-la, ao menos aqui no meu quintalzinho. Ela morre rápido e me parece que gosta muitíssimo de água. Semana passada, lendo o suplemento de agricultura do Estadão (nunca pensei que um dia iria ler esse caderno - rs), dei de cara com umas dicas da Sabor de Fazenda.

Sabor de Fazenda é um lugar aqui em São Paulo que vende mudas de ervas orgânicas. É um lugar fofo e agradável, que oferece cursos e materiais relacionados ao mundo das ervas.

A seguir, dica de Silvia Jeha:

"(...) a hortelã gosta de solo rico em matéria orgânica, bem adubado e úmido. Se faltar água, ela pode morrer. Outra característica é que a hortelã precisa ser podada, e a poda deve ser radical. Para saber o momento certo da poda, deve-se observar se os galhinhos estão compridos e as pontas com folhas pequenas. Com uma tesoura, corte os galhos rentes ao solo e coloque por cima terra bem adubada com húmus de minhoca ou algum adubo orgânico. Em poucos dias ela rebrotará. É só ter paciência e não ter dó de podar.

Outra dica: a hortelã não suporta ser plantada com outra erva, sobretudo do mesmo gênero (Mentha), como poejo, hortelã pimenta, hortelã portuguesa e menta. A hortelã é uma bastante invasora e mata ou morre se estiver com alguma vizinha. Quanto à luminosidade, um período de sol de cinco horas por dia é suficiente".

Aguardem, pois logo escreverei mais sobre a hortelã aqui!!!

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Prairieland Herbs


Andei ganhando uns presentinhos em blogs do exterior. Da Prairieland Herbs ganhei dois shampoos em barra e uma “varinha de cura” (já explico o que é isso).

Os shampoos sólidos, que eu adoro, principalmente para levar em viagens, vieram em duas fragrâncias: Wild Man (que eu dei para o meu filhão) e Fragrant Tresses, que guardei para mim. Confesso que, por ser uma unidade pequena, fico até com dó de usar, de tão cheiroso que é. Um dia espero poder comprar uma em tamanho normal.

Mas veja o principal dessa história toda: 10 mulheres que amam ervas se uniram e deram prêmios para as pessoas que deixaram comentários em seus blogs por dez semanas! Achei a coisa mais fofa do mundo. Sim, elas estão divulgando seus produtos, mas de uma maneira inteligente, na minha opinião.

Tive a oportunidade de ganhar prêmios por quatro vezes. Em uma delas, ganhei a assinatura de uma revista, com estilo fofo de fanzine feito em casa, xerocado. Depois ganhei um prêmio que nem lembro mais qual era, e a dona do negócio disse que não despacharia para o Brasil. Para você ter uma idéia, não lembro mais qual era o prêmio nem o nome da “lojinha” da pessoa (rs).

Da terceira vez ganhei os shampoos em barra e a varinha de cura, que chegaram da Prairieland Herbs. A varinha de cura (healing wand) vem num daqueles recipientes de protetor labial, contendo cera de abelha e óleos essenciais de lavanda e tea tree. Esses dois óleos são ótimos para queimaduras e passar em machucadinhos em geral. Daí o nome de healing wand. As donas da Prairieland aconselham ter um para uso em pessoas e outro para uso em animais. Achei uma graça!

Confesso que ainda não usei a minha para curar nada, mas mantenho-a na bolsa e de vez em quando passo na minha mão só para sentir o cheirinho gostoso que ela tem.

Na semana passada, ganhei um pingente de joaninha, que é um bichinho que eu amo demais (será mera coincidência?), mas ele ainda não chegou. Aguardo ansiosamente.
Para quem se interessar, eis o site da Prairieland Herbs: http://www.prairielandherbs.com/

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Novo deck





Quem me conhece sabe que eu adoro decks. Podem me xingar, mas eu gosto muito mais de colecionar os decks e apreciar sua arte, porque de interpretação mesmo eu sou uma negação (rs).

No Dia das Mães, resolvi aderir ao comércio atrelado à data "me dei" de presente um Tarot of Mermaids (quem me conhece também sabe que adoro sereias!). Mais informações sobre o deck você encontra aqui: www.aeclectic.net/tarot/cards/mermaids/

A arte não é muito bonita, mas acho que vou me acostumar com ele com o passar do tempo.

No início do post, você visualiza dois exemplos de cartas: O Mago e Os Enamorados.

Gostou?!?

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Qual o seu jeito de ser mãe?

OLHA O QUE O PERSONARE DISSE SOBRE O MEU JEITO DE SER MÃE:

MÃE AMIGA, INDEPENDENTE E CABEÇA ABERTA

A mãe com o signo lunar em Aquário é uma criatura pós-moderna! Em sintonia com a modernidade, ela também não se deixa tomar pelo modelo de autoridade e está mais para uma grande amiga do que para uma figura materna.Esta mãe tem um amor intenso pela liberdade e odeia ser controlada. Um de seus principais lemas é: Viva e deixe viver. É fascinada por gente inteligente e tende a ser uma mãe com a cabeça aberta e livre de preconceitos. Dificilmente se choca com alguma coisa e respeita profundamente a singularidade e as diferenças de seus filhos.

Veja também o seu lado mãe em: www.personare.com.br/maes

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Magia das Cores

Quando eu faço meus sachezinhos de ervas, gosto de colocar as plantinhas em um saquinho de cada cor, conforme o objetivo:

Rosa = amor

Verde = prosperidade e fertilidade

Vermelho = paixão e vitalidade

Azul = cura

Amarelo = auto-estima, estudos

Roxo ou lilás = magia

Marrom = magia para animais

Preto = banimento

Esse é um sistema de cores que eu montei para mim, de acordo com minhas leituras, os cursos que fiz e minhas crenças pessoais. Há amigas que usam o verde para cura, por exemplo, e não o azul. O importante é você criar seu próprio sistema na cabeça e, toda vez que olhar para o sachê, visualizar sua intenção. Isso é magia!

terça-feira, 28 de abril de 2009

Tabus (Execradores)

Estou com meu feminismo atacado esta semana! Deve ser culpa do Colóquio Simone de Beauvoir que está rolando na Universidade Federal de Juiz de Fora... (rs)

Hoje vim trabalhar ouvindo uma música muito legal de uma banda punk chamada Execradores. Ela se chama "Tabus" e gosto tanto dela que vou postar a letra aqui:

Mil mentiras ou mais (Espalhadas)
Mil traumas e tabus
Minha função, tua função (São ditadas)
Porque se relacionar assim
como se na cama se reproduzisse o maldito sistema patriarcal?
Para a mulher desodorante vaginal
Para a transa luz apagada e cobertor
Para a mulher bonita um depilador
Para o belo homem um barbeador
Se ele deseja todo tempo a ânus dela
Se ela do dele lembra tenta se esquecer
Pois um cú de macho não pode ser um cú erotizado
Homem é falo?!?
Já é hora de aprender a ouvir o seu corpo
Dar mais atenção ao coração
Destruir a sua educação machista
E os papéis destinados para mim ou para ti
Para mim ou para ti!

Desculpem-me aquel@s que não estão acostumad@s a ler palavrões, mas poucas vezes vi uma letra tão certa em suas idéias no tocante à sexualidade feminina e masculina!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Banho de Lakshmi


Recebi uma corrente hoje cedo, sobre Lakshmi. Não curto correntes, então ela parou em mim. Mas a foto do e-mail era tão linda que não pude deixar de postá-la aqui. E, como as coincidências são muitas na minha vida, posto também um banho de Lakshmi que preparei semana passada:
* leite
* louro
* erva-doce
* canela em pau
É só ferver o leite com o restante dos ingredientes, esperar esfriar (para não se queimar) e depois se banhar com ele, pedindo a Lakshmi prosperidade em sua vida.
Há versões que mandam colocar moedas nesse banho - depois você guarda uma moeda para si e doa as outras, espalhando a prosperidade concedida por Lakshmi.


terça-feira, 14 de abril de 2009

Os 13 Usos das Ervas

Vira e mexe eu vejo alguém reclamando de que não tem tempo para mexer com suas plantinhas, ervinhas e afins. Estava eu remexendo meus papéis quando achei um texto interessante, chamado "13 Uses of the Plants", do Philip Carr Gomm - ele é autor do The Druid Plant Oracle. Esse texto me foi repassado numa aula de druidismo (já que o autor é druida, obviamente).

A seguir, de lambuja para vocês (rs), um resumo do texto:

(1) As plantas podem ser utilizadas na alimentação

(2) As plantas podem ser utilizadas como bebidas, elixires e tônicos

(3) As plantas podem ser usadas nas suas roupas (pense nas roupas feitas com fibra de maconha, por exemplo)

(4) As plantas podem ser utilizadas para alterar a consciência

(5) As plantas podem ser utilizadas terapeuticamente

(6) As plantas servem para ungir

(7) As plantas podem ser utilizadas em rituais

(8) As plantas podem ser utilizadas em forma de incenso

(9) As plantas podem ser utilizadas para lavar instrumentos, objetos etc.

(10) As plantas podem ser utilizadas em feitiços

(11) As plantas podem ser utilizadas em talismãs

(12) As plantas podem ser ofertadas

(13) As plantas podem ser usadas como oráculos


E aí, conseguiu escolher apenas um ou dois modos de inserir as plantas na sua vida? :-)

quarta-feira, 25 de março de 2009

Livro infantil da Starhawk


Ainda este ano Starhawk lança um livro infantil. Para matar a curiosidade, vejam a capinha dele aqui em cima!
Pelo jeito, vai ser fofo! Se alguém arrumar uma editora para publicar, eu traduzo! (rs)


Já tomou seu "chá de cadeira" hoje?


sexta-feira, 20 de março de 2009

Feliz Outono!


Desejo a tod@s @s leitor@s deste blog um feliz outono! E também um ótimo ano novo astrológico, que agora será regido pelo sol.


Meus oito desejos

Recebi a proposta dos oito desejos da Babi Guerreiro. Estes são os meus:

1. Fazer com que a minha presença seja motivo de alegria, amor e paz para o meu filho e o meu companheiro, em primeiro lugar, e para todas as pessoas que me cercam.

2. Terminar o curso de filosofia diânica ainda em 2009.

3. Em 2010, conseguir me unir fisicamente às minhas sisters da Mystai of the Moon.

4. Ir conhecer o meu pai pessoalmente, depois de tantos anos, em abril deste ano.

5. Conseguir avançar para o terceiro módulo do meu curso de herbalismo mágico.

6. Conectar-me ainda mais com as deusas nórdicas e com as runas.

7. Começar a preparar um pré-projeto de mestrado.

8. Conseguir emagrecer.

terça-feira, 17 de março de 2009

Coincidências?!?


O e-mail abaixo vira e mexe chegua na minha caixa postal... Resolvi compartilhar porque acho bonitinho (rs)...


Uma fatia de cenoura parece um olho humano. A pupila, íris e linhas raiadas são semelhantes ao olho humano... E a ciência agora mostra que a cenoura fortalece a circulação sanguínea e o funcionamento dos olhos (vitamina A).

Um tomate tem quatro câmaras e é vermelho. O coração é vermelho e têm quatro câmaras. Toda a investigação mostra que o tomate é de fato um puro alimento para o coração e circulação sanguínea (ferro).

As uvas crescem em cacho, que tem a forma do coração. Cada uva assemelha-se a uma célula sanguínea e toda a investigação hoje em dia mostra que as uvas são também um alimento profundamente vitalizador para o coração e sangue.
Uma noz parece um pequeno cérebro, com hemisférios esquerdo e direito, cerebelos superiores e inferiores. Até as rugas e folhos de uma noz são semelhantes ao neocórtex. Agora sabemos que as nozes ajudam a desenvolver mais de 3 dúzias de neurotransmissores para o funcionamento do cérebro (oleoginosas).

Os feijões realmente curam e ajudam a manter a função renal. São exatamente idênticos aos rins humanos (ferro, proteínas).

O aipo, o ruibarbo e outros são idênticos a ossos. Estes alimentos atingem especificamente a força dos ossos. Os ossos são compostos por 23% de sódio e estes alimentos têm 23% de sódio. Se não tiver sódio suficiente na sua dieta o organismo retira sódio dos ossos, deixando-os fracos. Estes alimentos reabastecem as necessidades do esqueleto.

Berinjelas, abacates e pêras ajudam à saúde e funcionamento do ventre e do cervix feminino – eles são parecidos com estes órgãos. Atualmente a investigação mostra que, quando uma mulher come um abacate por semana, equilibra as hormônios, não acumula gordura indesejada na gravidez e previne cancer cervicais. E que profundo é isto?... Demora exatamente 9 meses para um cultivar um abacate de flor a fruta. Existem mais de 14 000 componentes químicos fotolíticos em cada um destes alimentos (a ciência moderna apenas estudou e nomeou cerca de 141).

Figos estão cheios de sementes estão pendurados aos pares quando crescem. Os figos aumentam a mobilidade e aumentam os números do esperma masculino, assim como ajudam a ultrapassar a esterilidade masculina.

As batatas doces são idênticas ao pâncreas e de fato equilibram o índice glicêmico de diabéticos.
Azeitonas ajudam a saúde e funcionamento dos ovários. Tangerinas, laranjas e outros citrinos assemelham-se às glândulas mamárias femininas e realmente ajudam à saúde das mamas e à circulação linfática, dentro e fora das mamas (vitamina C).

As cebolas parecem células do corpo. A investigação atual mostra que a cebola ajuda a limpar materiais excedentes de todas as células corporais. Até produzem lágrimas que lavam as camadas epiteliais dos olhos...

quarta-feira, 4 de março de 2009

Chás do Feminino (por Conceição Trucom)

A Cerimônia do Chá

Prepare o chá com a mais profunda gratidão e concentração. Escolha os utensílios: a chaleira (ou samovar), a chávena (ou xícara) e as ervas e flores tendo em vista a beleza, os aromas, as cores, a delicadeza.Limpe os objetos e a área em que o chá será preparado e servido, prestando atenção nos detalhes.Faça um arranjo simples de flores em um vaso especial e ponha-o onde você irá tomar o chá. Coloque uma linda toalha na mesa. Com movimentos lentos, suaves e, sobretudo graciosos, coloque a água para ferver. Acrescente com reverência as ervas no bule, sobre a água já aquecida. Tampe e aguarde a extração dos ativos.

Permaneça sentada, serenamente, enquanto a infusão se completa (10 minutos).Despeje o chá com todo o cuidado e mantenha a xícara nas mãos, sentindo o calor do líquido e observando a beleza do recipiente que o contém. Respeite as folhas e flores do chá e aprecie sua fragrância.
Depois de tomá-lo, limpe os utensílios, o bule e a xícara, e guarde-os.

Chá 4 Ervas - Harmonizador

Composição: Cavalinha (rins) – Folha Amoreira (equilibra hormônios) - Menta (refresca) – Hibisco (energia e relaxamento).Forma de preparo: aqueça 1 xícara de água filtrada até quase fervura. Desligue o fogo e acrescente 1 colher (sobremesa) da mistura de 4 ervas. Tampe a chaleira e deixe em infusão por 10 minutos. Coe sobre uma linda xícara, sirva morno ou frio. Desfrute da beleza e calor da xícara enquanto toma calmamente seu delicado chá aromático. Tome 1 xícara pela manhã e uma à tarde ou noite.

Chá da Soja Preta - Revigorante
Forma de preparo: ferva em panela não metálica 8 feijões de soja preta em 1 litro de água filtrada, até reduzir o volume à metade. Acrescente uma pitada de sal marinho, deixe cozinhar por mais dois minutos e coe. Tome 1 xícara uma vez por dia logo pela manhã ou quando perceber que precisa revigorar.

Onde comprar as ervas em SP: na zona cerealista do Brás, nas redondezas da Av. Mercúrio com Santa Rosa. Lá podem ser encontradas ervas de todo o Brasil e são sempre frescas devido ao grande volume de vendas.

Conceição Trucom é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para a Alimentação Natural, bem-estar e qualidade de vida.

Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações e citada a autora e fonte.

terça-feira, 3 de março de 2009

Pequena crise

Eu ando me perguntando por que eu quero tanto estudar mitologia nórdica. Sim, desde pequena eu tenho fixação pela língua alemã, sempre quis conhecer a Alemanha, mas... por que é que eu fui aprender inglês na faculdade, e não alemão?

Queria fazer o curso completo do Goethe, mas não tenho paciência para passar os próximos dez anos lá estudando, já passei dessa idade.

Tentei entrar num grupo internacional que estuda ervas e mitologia nórdica e fui cruelmente sabatinada (perguntas que inclusive tratavam de diferenças sutis de conceitos, como se fossem uma “pegadinha” para a idiota aqui cair). O moderador me fez umas vinte perguntas, eu me dignei a responder todas e o cara nunca me respondeu.

No final do ano passado, li um artigo da revista The Goddess Pages, que eu assino, e nela havia uma matéria de uma mulher dizendo que era errado uma pessoa do Hemisfério Sul cultuar divindades do Hemisfério Norte! Afff!

Aí hoje, pra variar, li um texto que critica duramente os pagãos que seguem a mitologia nórdica, um texto inteligente e bem articulado. Em seguida, pensei: o que é que eu estou fazendo estudando essa cultura, minha Deusa?

Sem contar as pessoas que leram a Edda três vezes e ficam brigando no Orkut, os neonazistas que adoram a cultura nórdica, os radicais de plantão que criticam sem parar minha querida Mirella Faur.

Alguém pode parar o mundo que eu quero descer?!?

Bom, eu vou ler mais um pouquinho de Diana Paxson para ver se essa crise passa (rs).

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

O Manjericão da Ary

Ariany Moreira, queridíssima, escreveu um belo texto sobre o manjericão no Multiply dela. Bela pesquisa, Ary! Confira a seguir:


Ervas de proteção e estudo sobre manjericão
Feb 25, '09 4:14 PMfor everyone

Elas são muitas, mas cada erva tem uma forma muito particular de proteção. Para utilizar alguma erva, primerio tem que saber qual é o tipo de proteção que deseja.

Estava sentindo necessidade de fortalecimento no campo espiritual, sem a necessidade de limpeza, que são coisas bem diferentes!

Meus devaneios sobre ervas:

A acácia é proteção, mas contra pesadelos, auxiliando no sono tranquilo, assim como o anis; pimenta protege contra mau olhado e uma receita de bruxaria indiana consiste em colocar numa corda 3 pimentas vermelhas, 1 limão e mais 3 pimentas, pendurar na janela e/ou na porta de entrada da casa (aqui em casa sempre faço); alho é proteção para a casa e também é limpeza, tanto física quanto espiritual, assim como o sal grosso (que não é erva, mas é ingrediente muito forte e eficaz); quanto à angélica, ela protege contra influências negativas (ideal para ser usado como talismã por bruxas e pessoas que lidem com magia!) enquanto que os druidas utilizavam o visco; a cebola protege e cura males físicos e por isso aqui em casa não falta, assim como o gengibre e o hortelã; louro e mirra é proteção e purificação; mandrágora protege o lar; sandalo purifica, protege e, ainda por cima, cura!

Depois de tanto pensar em que erva iria usar, numa conversa com a Dani Salles, a Bruxa Verde, veio a inspiração: manjericão!!!

Nem havia me passado pela cabeça... e aproveito para agradecer à Dani pela dica valiosa!
Comentei com meu marido, que foi ao mercado e se lembrou da conversa sobre a erva e comprou um molho bem generoso de manjericão!


Fiz banhos, pensurei galhos na janela e cozinhando muito: cozinhando com INTENÇÃO, que faz toda a diferença na cozinha.

O manjericão é muito usado nos templos indianos, sob o nome de tulasi, um dos vários tipos dessa erva.

Sua origem se deu na Índia (berço de muitas outras especiarias), sendo considerada sagrada. Ela é consagrada ao Deus Krisna e Vishnu, onde é comum plantar em volta dos templos e tê-la em vasos, dentro e no altar.

Além dos Deuses, ela é consagrada à Deusa Tulasi (que provavelmente foi reduzida à planta, sendo seu culto quase exterminado, salvo no sul do país).

Existem muitas versões de seu mito, mas um que é amplamente conhecido é o seguinte:

Tulasi era uma mulher e foi seduzida por Vishnu, porém ela era casada. Ela ficou tão desorientada que resolveu se matar! Vishnu, naquele instante, a declarou como protetora das mulheres viúvas e sendo adorada pelas mulheres por sua fidelidade. Assim, a planta tulasi tornou-se um símbolo de amor, purificação e proteção.

Numa pesquisa pela net, descobri que na Itália o manjericão era um sinal para o amor: a mulher colocava uns galhos da erva em cima de alguma mesa ( bem visível ) para dizer ao marido que o estava esperando ou quando queria arranjar um pretendente. O manjericão doce era chamado "beije-me Nicholas" ou "bacia-nicola", usado para atrair maridos às esposas.

No folclore siciliano, o manjericão está associado ao amor e à morte.

Na Inglaterra, era usado para proteger contra maus espíritos e insetos.

O simbolismo do amor do manjericão não limitou-se à India. Foi considerado um afrodisíaco, associado à "Deusa pagã do amor", Erzulie ( ou Erzulie Freda é um loa [Deus/Deusa] Haitiana, do panteão vudu. É a parte feminina de Papa Legba.)

O manjericão tem uma história antiga. Provavelmente foi levado até a Europa por Alexandre, O Grande. Cresceu em jardins medievais e é mencionado em herbários clássicos, incluindo os de Culpeper, Parkinson e Dioscorides.

O folclore do manjericão é tão complexo quanto seu sabor e aroma. Em seus mitos incluem-se associações aos opostos: amor e ódio, perigo e proteção, vida e morte, de acordo com o povo de diversas tradições por onde foi disseminado seu uso e cultivo.

Fica a dica:

Banhos de manjericão para toda a família!

==========

Se você quiser saber um pouco mais sobre a Ariany, confira os seguintes endereços:

http://templodedurga.multiply.com/

http://www.afiandeira.blogspot.com/

http://www.casadafadaazul.blogspot.com/

Ariany é uma artesã de mão cheia, mãe de dois meninos fofos e uma pessoa maravilhosa!!!!

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Louro - Parte 4

O louro, por Marcia Frazão em O Gozo das Feiticeiras

Se há uma erva que não pode faltar na cozinha de uma bruxa, esta é o louro. Seu poder é tanto que a utilizamos da mesma maneira que o escoteiro utiliza sua mala de primeiros socorros. Podemos dizer que ela é o nosso mertiolate e esparadrapo mágicos.

Podemos utilizá-la como substituta de outro ingrediente que não se encontre. Para tanto basta que conversemos com uma folha de louro, explicando nossa busca sem sucesso e pedindo que substitua a erva em questão. O louro, sendo por natureza uma erva sempre aberta às nossas necessidades, com certeza atenderá nosso pedido.

Esta erva tem uma poderosa atuação em feitiços de proteção, saúde, purificação e restabelecimento da auto-estima. Embora seja utilizada em feitiços amorosos, seu poder aí não se manifesta plenamente.

Para que sua casa fique sempre protegida das influências negativas, experimente queimar, a cada domingo, de preferência ao meio-dia, algumas folhas secas de louro. Com certeza o mal terá entrada barrada em sua casa.

Quando algum membro da sua casa cair doente, coloque uma folha fresca de louro sob o travesseiro desta pessoa, retirando-a pela manhã e queimando-a. Depois de queimada, pegue as cinzas e sopre-as na direção do vento, repetindo o seguinte encantamento:

Erva sagrada de Apolo,
Deus da saúde e beleza.
Leve para bem longe a doença,
E que rápido dela se esqueça.

Se a casa, vez por outra, sofre a visita de alguém invejoso e fofoqueiro, coloque atrás da porta de entrada um galho de louro dependurado. Com certeza essa pessoa se afastará.

Louro - Parte 3

Foto: cortesia de Aeryus Cernowain.



Propriedades Medicinais


Agora gostaria de postar sobre algumas propriedades medicinais do louro, esta que é uma das ervas que povoa minha vida desde pequena, aquela que sempre vinha no feijão da vovó.

Em casa eu tenho sempre as folhas secas, mas ele é muito fácil de cultivar em casa - esta pequena árvore (mas algumas chegam até 20 metros) gosta de muito sol e não tolera invernos rigorosos.

Ele alivia dores de cabeça e de estômago, além de fazer descer a menstruação e ajudar na cura de feridas e mordidas de insetos, além de ser bom para casos de artrite. Como as folhas são bactericidas e fungicidas, também são utilizadas para combater gripes e resfriados (já tomou aquele chazinho de louro da mamãe quando estava resfriad@?). Também ajuda na digestão e diminui a flatulência (talvez por isso seja comumente utilizada no feijão!).

Além de tudo isso, ele ajuda a eliminar toxinas, melhora a pele e acalma os nervos, reduzindo o estresse.

Ainda não experimentei, mas Susan Belsinger, em seu artigo sobre o louro, diz que é melhor colher as folhas e congelar do que utilizá-las secas, pois secas elas perdem o sabor.

E atenção: mulheres grávidas não devem tomar chá de louro.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Witches Herbal Chant

Herb and root seed and flower,

bring to me your ancient power.

Growing deep from moon to moon,

mother hear my ancient tune.

A pinch of this, a pinch of that,

make magic in my witch's vat.


~~~ Barbara Morris

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Louro - Parte 2



Corpo: banhos para limpeza, saúde, cura e fertilidade

Mente: raiva, comunicação, confiança, emprego, liderança, banição do medo, acabar com maus hábitos, reduzir a negatividade, sorte, dinheiro, monogamia, popularidade, proteção, relacionamentos saudáveis, segurança

Espírito: acabar com qualquer tipo de violência, abençoar, acalmar, divinação, sonhos, exorcismo, aterramento, agradecimento, compreensão, intuição, solidão, casamento, meditação, prosperidade, sabedoria e cura da natureza




O louro é muito utilizado em feitiços e divininações de amor, e ajuda a acalmar brigas entre casais. Reza a lenda que o louro em pó, jogado em volta do travesseiro da pessoa amada, reduz a infidelidade.

Se usado em um ambiente comercial, atrairá clientes. Protege contra todas as formas de mal e atrai boa sorte e riqueza e, por isso, geralmente é utilizado perto de caixas registradoras e nos bolsos das pessoas.

O louro tem sido utilizado em ritos de purificação e exorcismo desde os tempos antigos. No passado, na Índia, os mortos eram enterrados sob o chão das casas, e os familiares colocavam um potinho com louro na janela em respeito ao morto. Também há evidências de uso no Egito, na Grécia e em Roma. Nos dois últimos, havia quem acreditasse que o louro só nascia no jardim daqueles que tinham má sorte ou sofriam agressões físicas.

Tê-lo plantado em casa traz felicidade e paz. Pode-se utilizá-lo em casos de magia simpática e também em rituais de auto-dedicação e purificação, tanto queimado quanto em forma de banho.
Para obter proteção, é bom comer pratos que contenham louro, fazendo uma correta visualização desse propósito.

Um uso mais moderno: diz-se que é bom manter folhas de louro perto do computador para mantê-lo funcionando (rs).