quarta-feira, 15 de julho de 2009

exposição Cuide de Você - Sophie Calle


Aguardava com ansiedade a exposição “Cuide de Você”, da artista plástica francesa Sophie Calle, no Sesc Pompéia, aqui em São Paulo, a despeito de todo horror que tenho pela língua francesa.

Para quem não sabe, tudo começou quando Sophie recebeu um e-mail de seu namorado, o escritor Grégoire Bouillier, terminando com ela (a carta está aqui, no fim da página).

Munida de sua dor-de-cotovelo colossal (rs), a artista enviou o texto para 107 mulheres, das mais diversas profissões, para que fosse analisado.

Na exposição, além das fotos de algumas dessas mulheres (algumas preferiram não ter seus rostos expostos, creio eu), há o “veredito” de cada uma. Por exemplo, a revisora critica o texto do escritor, dizendo-o repetitivo. A advogada diz que ele é egoísta, narcisista e por aí vai. Poucas são aquelas que não o criticam. Tem até uma vidente que tira o tarô para esse relacionamento interrompido, bem como uma atiradora que fura três vezes a tal carta.

Vale dizer que, para minha sorte, foi distribuído um caderninho com as traduções do francês, ou eu não teria entendido nada (o caderninho está aqui).

O depoimento mais sincero sobre a carta, na minha opinião, foi o da própria mãe de Sophie Calle, que disse, entre outras coisas, que ainda bem que ela não era velha e estava sendo trocada por uma mais nova e que, no amor, é assim mesmo: as coisas têm princípio, meio e fim... Que a filha era bonita e que não deveria se importar tanto com isso. Sábia mãe de Sophie Calle!!!!

Há também vídeos de várias artistas interpretando as cartas. Desculpe-me, mas a maioria das interpretações é chata e longa. Assisti a três ou quatro e saí correndo. Acho que não sou uma boa apreciadora de arte.

Agora o que mais me revoltou foi ter lido que a artista plástica e o escritor se encontraram na Flip (Feira Internacional do Livro de Paraty) e foram vistos de mãos dadas!!!! Eu sei que eles são adultos, podem voltar a namorar quando quiserem, mas a mulher fez uma exposição convidando todas as outras mulheres a compartilharem sua dor, transformou tudo isso num espetáculo e agora tem a pachorra de vir para o Brasil, justamente onde a exposição está, e ficar de chameguinho com o cara!

Como eu sou cara de pau, falei isso para o monitor da exposição. O rapaz, do alto de sua ingenuidade, disse que isso era impossível, que eles eram apenas amigos. Então eu perguntei a ele se ele andava de mãos dadas com os amigos por aí, porque eu mesma não tinha mais idade para isso.

Não convencido, pediu licença e foi embora, me deixando com cara de idiota (ok, alguns de vocês podem dizer que eu mereci isso).

Sempre gosto de ter o livro das exposições a que vou, mas dessa vez não dei um centavo do meu rico dinheirinho para Dona Sophie Calle.

Site da exposição http://www.sophiecalle.com.br/

Crédito das fotos utilizadas neste post: http://minasdeouro.glamurama.uol.com.br/tag/cuide-de-voce/

11 comentários:

Claudia Godoy disse...

Querida, pensa que talvez, essa exposição toda da dor (cotovelo) tenha servido de terapia...
Viraram a página e quem sabe vem outra história por aí...
Outra exposição, fama e dinheiro no bolso...
Adoro seus comentários, sou capaz de sentir sua intesidade e "ouvir" suas palavras...dessa vez vc me fez rir...
Bjos

Lucy disse...

ah desculpa, não resisti e vim espiar! sim, ainda vou na exposição. estou bem curiosa ainda.
mas tenho que concordar com você, mãos dadas na flip...bom, eu já podia imaginar.
quem seria corajosa e tão bem resolvida a ponto de estraçalhar um pé na bunda. diria que é uma maneira muito criativa de subverter, de não sofrer...mas honestamente...amor é tipo incoerência pura!
é o que dá: mãos dadas!
e concordo com você, a mãe de sophie falou tudo!
ainda que eu compartilhe a idéia de frouxidão do moço hahaha!
beijo

Luciana Onofre disse...

ahahaha amei tuas considerações!!!
melhor impossível, tens toda razão!!!

Iony disse...

Vai me desculpar Dani, mas só não muda de ideia quem não as tem. Isso me faz lembrar das amziades virtuais que muita gente fala que vai sair fora, sai, volta, sai, volta.São seres humanos e suas humanidades.E alguem disse aí q a mulher é muito bem resolvida por ter a coragem que teve, eu assino embaixo!!!!

Green Womyn disse...

Iony, não precisa se desculpar não. Eu tenho uma idéia, escrevo sobre ela, mas nem todo mundo precisa concordar comigo.

Bem resolvida eu acho que ela não é, senão não precisaria criar uma exposição depois de tomar um fora do namorado (rs).

Isabella disse...

Primeiramente, meus pêsames pelo seu pai... :(

Segundamente, interessante o seu texto. Não diga que vc não "sabe apreciar arte". Se a arte é chata, não é culpa do expectador por não "entendê-la". Às vezes, a arte existe só mesmo para si, não precisando de uma platéia para atribuir-lhe sentido.

Tô com um excesso de calêndulas do meu jardim. O que fazer?

Rosana Oshiro disse...

Ola!
Essa semana tem blogagem coletiva no Mammys Blogs!

Passe por la para conferir e participar!

Teremos o sorteio de uma Bebechila!

Beijo

Anônimo disse...

Queridona, adorei seu texto!
Acho que a artista teve peito de expor o pé na bunda e muita criatividade para trabalhá-lo. Mas falta de amor próprio ao andar de mãos dadas com o moçoilo em plena Flip. Como disse uma de suas amigas, as ideias existem para ser mudadas, concordo. Mas esse caso é só mudar de ideia ou não respeitar a si própria???
Beijo!

Luiza Torres disse...

Sei que há diversas reações para o fim de um relacionamento, mas acho que Sophia demonstrou a sua depressão e não aceitação pelo fim do namoro de uma maneira singular. Desejou que diversas pessoas sentissem o mesmo que ela e para isso, acredito eu, fez a exposição.
Em algum momento tb ela deve ter desejado que o ex-namorado soubesse o quanto estava magoada. Afinal, terminar um namoro por meio de um e-mail é muita desconsideração pela pessoa que estava ao seu lado ou até mesmo covardia.

Green Womyn disse...

Luiza, concordo em gênero, número e grau com vc. O que me incomodou foi o fato de ela ter ficado correndo atrás do cara aqui no Brasil e até se deixar ver de mãos dadas com ele.

Sei que os assuntos do coração são por vezes incontroláveis, mas acho que ela poderia respeitar um pouquinho o público dela, sei lá (rs).

Luiza Torres disse...

Realmente, acho tb que houve uma falta de respeito.

valeu!