sábado, 19 de dezembro de 2015

Banhos para 2016

Olá! Chegou aquela época que vocês adoram, em que eu começo a preparar os banhos para a chegada do próximo ano e, é claro, divido sempre a receita com vocês que me leem. 

Este ano, preparei três banhos. Veja a receita de cada um deles a seguir:

Banho para despertar o feminino

Rosa vemelha
Artemísia
Damiana
(com óleo essencial de palmarosa ou artemísia, a depender dos objetivos que se tiver em mente; o óleo essencial de artemísia é especial para mulheres que trabalham com divinação)




Banho para prosperidade

Erva-doce
Cravo
Calêndula
Louro





Banho para limpeza energética

Sal grosso
Alecrim
Óleo essencial de alecrim
(para limpezas mais fortes, acrescentar guiné)




Espero que tenham gostado dessas sugestões de banho. Muita gente me escreve dizendo que não encontra as ervas, ou que não tem um fornecedor de ervas de qualidade, ou que não quer comprar grandes quantidades de ervas, ou que simplesmente não têm paciência e/ou dom para fazer os banhos.

Então, este ano temos uma novidade para vocês: eles agora também estão sendo vendidos. Para saber mais, escreva para doitherself@gmail.com. Despacho para todo o Brasil pelos correios.

Um beijo e um ótimo 2016 para tod@s com muita paz, saúde, prosperidade, alegria e amor! 



sábado, 12 de dezembro de 2015

Meditação com as ervas

Se você quiser ter um relacionamento "mais sério" com as plantas, eu recomendo muito que faça uma meditação com elas frequentemente. Não sabe como fazer? Eu ensino a partir de agora.



Em um local calmo e tranquilo, sente-se ou deite-se de frente para sua erva ou planta. Observe-a bem utilizando todos os seus sentidos. Veja o local onde ela cresce e as plantas que estão à sua volta. Preste atenção ao seu tamanho, cor,  cheiro, gosto (mas só experimente a erva se tiver certeza de que ela não é tóxica!). 

Toque-a e tente sentir se sua energia é quente ou fria, se é lisa ou rugosa etc. Observe seus veios e como eles se organizam.

Esse é um estágio de reconhecimento da erva, uma forma especial de se reconectar com ela.

Agora, feche os olhos e respire junto com sua erva. Imagine que ela também está respirando e você está absorvendo o ar que vem dela, como se estivessem trocando o ar entre vocês. Dessa maneira, tente se conectar totalmente com a erva.

É interessante que você faça esse exercício de respiração, como se fosse uma meditação mesmo, por ao menos 5 minutos todos os dias. 

Essa meditação é mais efetiva se for feita com plantas de pequeno e médio porte. Você pode fazer essa meditação com árvores, mas já li que o tempo delas de inspiração e expiração é muito mais lento que o nosso (o que não significa que elas não possam "trocar" conosco).

Depois da meditação, é importante que você reflita sobre algumas questões:

1) Escreva o que você notou sobre esta erva.

2) Tente desenhar a erva com a qual você trabalhou.

3) A cada dia que passa, você consegue notar coisas diferentes sobre essa erva?

4) Como está seu relacionamento com a erva? O que você observa depois de um tempo meditando com ela e que não percebia anteriormente?

5) O gosto dela lhe lembra alguma coisa?

Depois que você desenvolver uma certa intimidade com a erva, faça perguntas a ela. Pergunte seu nome, o que ela gostaria que você fizesse com ela. Você pode dar presentes para sua nova amiga, por exemplo, como pedras.

Estas práticas são muito interessantes para conhecer melhor as ervas e estabelecer um relacionamento com elas. Para mim, as informações que você procura sobre determinadas plantas nos livros são importantes, mas é muito compensador conhecê-las também por meio dessa vivência.

Se você estiver dispost@ e fizer esses exercícios, me conta como foi depois? Quero muito conhecer sua experiência!


domingo, 6 de dezembro de 2015

Erva do ano de 2016 - Pimenta

E, para minha surpresa, a erva do ano de 2016, eleita pela International Herb Association (Associação Internacional das Ervas), é a pimenta (Capsicum spp)

Em 2016, então, que nossa vida seja bem apimentada!



Confesso que não sou chegada em pimentas, mas minha mãe adora.

E você? Gosta de pimentas? De que tipo? Como usa? 

Você planta pimenta? Quer deixar dicas de cultivo para os leitores do blog?

Deixe seu comentário aqui embaixo!


domingo, 29 de novembro de 2015

Indicação de Livro # 1

Bom dia!

Vira e mexe pessoas que estão começando a aprender sobre herbalismo me pedem indicações de livro, então vou começar a fazer isso aqui no blog agora. O primeiro será um livro pequeno, mas cheio de sabedoria: "Elementos do Herbalismo", de David Hoffman.



Este livro foi publicado pela Ediouro em 1993, então muito provavelmente você só vai achá-lo em sebos (inclusive os virtuais, como Estante Virtual e Livronauta, os quais recomendo fortemente).

Nesse livro você vai aprender o conceito de herbalismo, onde encontrar as ervas para preparar remédios, como prepará-las e usá-las.

Particularmente, gosto muito do trecho em que ele ensina sobre a valeriana e as maneiras de se fazer tinturas.

O ponto negativo é que, por se tratar de um livro traduzido, ele traz algumas ervas que não estão disponíveis no Brasil, mas a grande maioria delas você acha sem problemas.




quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Cunt Coloring Book para baixar

Quando essa febre dos livros de colorir nem sonhava em existir, a titia aqui já havia importado dois deles. Mas não esses livros de colorir fofinhos, de bichinhos, jardins etc. Eu comprei o Girls Will Be Boys Will Be Girls, numa edição mais antiga, com capa amarela. Hoje existe uma versão nova, que você pode até comprar pela Amazon, com a capa bem mais bonitinha. O objetivo desse livro de colorir é desconstruir os papéis de gênero tradicionais por meio de 32 imagens para colorir. 

O outro livro de colorir que comprei na época se chamava Cunt Coloring Book, um livro recheado de imagens de vaginas (ou xerecas ou pepecas, como você quiser chamar) para colorir. O livro foi criado por Tee Corine, autora e fotógrafa que, infelizmente, faleceu em 2006.

Este último livro também está disponível para compra na Amazon, mas outro dia chegou até mim um PDF com o livro completo e, como sou a favor de que as mulheres conheçam seu corpo, eu vou disponibilizá-lo para você neste link.

Espero que ele lhe seja útil e que você possa ter bons momentos pintando e conhecendo um pouco mais sobre o corpo feminino.


domingo, 8 de novembro de 2015

Infusor de chá

Tenho estudado bastante e, por isso, há poucas atualizações no blog. Vim aqui apenas para mostrar a vocês um lindo mimo que achei numa loja Daiso aqui em São Paulo: um apetrecho para infusões. 

Vejam que lindo ele é!



E o pratinho de baixo ainda é solto, gente! Veja a foto a seguir.



Custou só R$ 6,99 (e eu já vi infusor de chá por aí 
até por R$ 50,00!)

domingo, 18 de outubro de 2015

Propriedades medicinais da sálvia




Como eu já escrevi em outros posts, a sálvia que costumamos utilizar (Salvia officinallis) é originária do Mediterrâneo. Existem ainda uma sálvia chinesa (danshen), de raiz vermelha, cujo nome científico é S. mitiorrhiza, e a sálvia branca (Salvia apiana), que é nativa dos Estados Unidos. A sálvia branca era bastante utilizada pelos índios norte-americanos na alimentação, em remédios caseiros e também como incense com fins espirituais. Hoje, você acha sálvia branca seca para usar como incenso com muita facilidade. (Se você se interessa por essa parte mais espiritual, aguarde o próximo post, que vai falar especificamente disso!)

Uma das características da sálvia de que pouca gente fala é que ela também ajuda a reduzir os níveis de açúcar no sangue. Além disso, ela auxilia na redução e supressão de suor excessivo (motivo pelo qual é utilizada em alguns desodorantes naturais).

Além de diminuir o suor, ela também diminui outros fluidos corporais, como leite materno e saliva. Portanto, evite a sálvia se estiver amamentando.

Você agora deve estar se perguntando: mas por que alguém vai querer ter a saliva diminuída? Há doenças, como o mal de Parkinson, em que a salivação é bastante excessiva, e é aí que a sálvia pode ajudar.

Aliás, a sálvia, por ser uma erva estimulante, também pode estimular o útero, fazendo com que desça a menstruação. Então, se estiver grávida, já sabe: evite a sálvia.

Ainda nos cuidados com a saúde feminina, a sálvia ajuda a diminuir os episódios de calor excessivo em mulheres menopáusicas e aumenta a produção de estrógeno.

Também estimula o fluxo da bile, melhorando as funções do fígado.

Além de tudo isso, a sálvia é antibactericida, anticatarral, antimicrobiana, antisséptica, antiespasmódica, adstringente, vasodilatora e estimula o sistema circulatório.


Contraindicações: Já disse aqui em cima que mulheres que estão amamentando e mulheres grávidas devem evitar a sálvia. Uma outra contraindicação seria sua utilização por elipépticos, pois a sálvia contém uma substância que pode acionar as crises.

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Smoothies com Camomila

Na minha época, a gente chamava simplesmente de vitamina, mas, agora, a moda é chamar de smoothies aqueles "sucos fortificados" com frutas que a mãe da gente fazia no liquidificador (minha vitamina preferida era, e ainda é, a de abacate). Se alguém souber a diferença entre smoothie e vitamina e puder me explicar, por favor, deixe um comentário. :-)

Agora vou passar para vocês, que leem o Mulher Verde, duas receitinhas de smoothies deliciosos que levam camomila. São fresquinhos, ideais para esta primavera. Confira!


Smoothie de Camomila, Banana e Morango

1 xícara de chá gelado de camomila
1 xícara de morangos lavados e congelados
1 banana congelada (sem casca)
1 pedacinho de gengibre

Bata todos os ingredientes no liquidificador até ficar com uma consistência cremosa.

Se preferir, adicione gelo à mistura e bata um pouco mais no liquidificador.


Smoothie de Camomila e Pêssego

1 saquinho de chá de camomila
½ xícara de leite de soja ou leite desnatado
1 pêssego sem pele e sem caroço
1 colher de chá de gengibre
1 a 2 colheres de chá de gérmen de trigo (opcional)

Coloque o saquinho de chá numa xícara com 1/3 de água quente (80 ml). 

Quando o chá estiver frio, junte todos os outros ingredientes e bata tudo no liquidificador até ficar espesso.

Com gelo fica mais gostoso...





domingo, 27 de setembro de 2015

Lua Cheia em Áries e Eclipse Lunar



Esta é uma época de:

- Renascimento

- Grandes mudanças

- Novos começos

- Novas luzes para velhas situações

- Mudança de crenças

- Ir em busca de seus sonhos

- Utilizar abordagens inovadoras

- Ação

- Honestidade (consigo e com os outros)

- Autenticidade

- Correr riscos

- Ter coragem

domingo, 20 de setembro de 2015

Sálvia (oráculo Jardim Interior)



Arbusto rústico, sempre verde, com altura média de 30 a 70 cm. Origem: Europa mediterrânea. Da família das labiadas, apresenta uma grande variedade.

Os gregos e os romanos acreditavam que a sálvia tinha o poder de curar todas as doenças e favorecer a longevidade. O nome deriva do latim salvere, que significa "salvar", "estar em boa saúde". Um antigo provérbio difundido na China, Pérsia e várias regiões da Europa dizia: "Quem tem sálvia no jardim nunca envelhece". Durante o século XVII, era moeda de troca entre chineses e mercadores holandeses: três arcas de chá chinês eram trocadas por uma única folha de sálvia.

Na Roma antiga, sua colheita era cercada de cerimônias. Incompatível com os sais de ferro, desaconselhava-se a colheita com ferramentas feitas desse metal.

Cultivo: Em solo leve, alcalino, seco e bem arejado, com exposição ao sol. A sálvia vulgar se propaga por sementes, as demais variedades pegam por estaca. No plantio, manter intervalos de 40 a 60 cm. Podar frequentemente para manter os ramos.

Utilização: As folhas são usadas em temperos de carnes, aves, manteiga, queijos, vinagres. É um dos ingredientes da vinha d'alho. Não deve ser misturada a outras ervas. Com as flores prepara-se um chá leve e balsâmico.

Aromaterapia: O óleo essencial da sálvia é estimulante, antidepressivo e afrodisíaco. Pode ser usado em banhos, aromatização ambiental, escalda-pés, massagem facial, xampu anticaspa e desodorante. Combina com óleo essencial de cipreste, hortelã-pimenta, cravo, funcho, alfazema, alecrim, manjericão, petit-grain, limão, neróli, vetiver e zimbro.

Fonte: Jardim Interior - Oráculo das Flores.


sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Conselho da sálvia para a Lua Cheia em Peixes



Diz a lenda que quem tem sálvia no jardim não envelhece. Para os antigos romanos, a sálvia era uma erva sagrada, e sua colheita, uma verdadeira cerimônia.

Outra lenda reza que se trata de uma erva caprichosa e que, se misturada a qualquer outra erva na culinária, sente-se ofendida, pois gosta de ter toda atenção só pra si.

Será que isso tem a ver com você?

Brilhar é bom, mas não podemos ofuscar o brilho dos outros e, muito menos, deixar de reconhecê-lo.

Fazer um elogio bem intencionado faz bem ao próximo e volta para nós com uma imensa satisfação.

Carta Sálvia, oráculo "Jardim Interior".

domingo, 23 de agosto de 2015

Cartas para quem precisa

Bom, quem me lê aqui no blog já sabe que eu adoro cartas (senão, clique aqui).

Há pouco tempo descobri um projeto lindo, chamado Love It Forward, cujo objetivo é levar amor para quem esteja precisando através de cartas. Pessoas que estão passando por momentos difíceis recebem cartas e/ou cartões cheios de mimos, arte e palavras de incentivo, sem julgamentos.

Em minha segunda semana na lista, chegou o endereço de uma moça de 25 anos que, por conta da depressão, quis colocar um fim em sua vida. Tudo o que eu sabia dela era que amava videogames e rosas. Com o primeiro tema não posso ajudar muito, então mandei uma carta cheia de "rosas" para ela.



Com a cartinha, como vocês podem ver na foto, enviei todo os textos impressos do Mulher Verde para ela, coloridos, e também folhas em branco nas quais carimbei rosas para que ela possa pintá-las como quiser.

Colocados na carta, post-its com rosas. E a cartinha, é claro.

Se esse projeto também tocou seu coração, escreva para loveitforwardlist@gmail.com e peça para ser incluíd@ na lista.

É sempre bom ajudar quem precisa.

sábado, 22 de agosto de 2015

ENTREVISTA - Eta.Baco.Danado




Oi, meninas. Tudo bem com vocês?

Olá, Dani. Tudo bem, querida.

Vocês já se conheciam? Como começaram a trabalhar juntas nesse projeto? Querem se apresentar?

Somos companheiras, nos conhecemos em São Paulo mesmo e hoje moramos juntas. A gente vendia o tabaco natural como alternativa ao cigarro. Já tínhamos o EtaBacoDanado. Então tivemos a intuição de começar a fazer o kumbayá como alternativa também ao tabaco. Depois que a gente começou a fazer o kumbayá e entrar em contato com as plantas, a gente tomou mais consciência do gesto que nosso trabalho propõe. Passamos a entrar mais em relação com o trabalho e suas reverberações: conhecemos melhor as plantas, as texturas e aromas; ritualizamos para preparar; intuímos as proporções da mistura. Tem que ter um respeito com as plantas e cuidado com a energia que colocamos no preparo já que muitas pessoas vão ser afetadas por esse momento.

A Mercedes trabalha como professora e artesã, e a Mayara trabalha com arte.

A gente brisas (rs) desde astrologia, alquimia, teatro, massagem, dança, música. Tudo gira em torno do conectar mesmo, os lados todos da vida e dos desejos vitais.

Eu, particularmente, nunca tinha ouvido falar de kumbayá. Conheci por meio de vocês. E vocês? Como o conheceram?

Mayara conheceu em São Jorge em Goiás. Mercedes não lembra, mas já tinha fumado.

O kumbayá tem uma história? Vocês a conhecem e  poderiam contá-la aos leitores do blog Mulher Verde?

A gente conhecia como kumbayá ,mas não sabia de onde vinha o nome. Pesquisando, achamos que o nome vem de uma mistura de línguas africanas com o inglês, que chegou no Gullah, uma língua falada na América Central.

Lemos que é como se fosse “come by here” – “kum bay ya” – venha aqui. Tem uma música popular que se chama “kumbaya, my lord”, cantada ao redor da fogueira e em encontros espirituais, falando de harmonia e unidade espiritual. Parece que é bem famosa em Angola também. Acho que daí deve ter se espalhado o nome que acabou sendo associado ao fumo.

Sabem se há alguma especificidade nas ervas utilizadas no kumbayá? Quero dizer, o motivo pelo qual essas ervas são usadas...

As plantas têm muita afinidade com o nosso corpo. Pensamos que acontece um encontro das energias sutis. Por isso sentimos seus efeitos, relaxantes, estimulantes... Cada planta tem seu campo energético e é regida por princípios próprios, sua relação com o sol, a lua, a água, a terra. E isso nos influencia.

A calêndula por exemplo é uma planta que acompanha o movimento do sol, por isso traz essa energia.

A metáfora toda mora dentro da gente. Essas ervas são escolhidas intuitivamente, pelos seus símbolos, aromas, cores, a sobreposição dos gostos.

Por que há versão com e sem tabaco?

O tabaco é uma planta bem forte e masculina. O kumbayá sem tabaco é bastante feminino. Cada um escolhe a alquimia da proporção que quer dessas energias.

Muitas pessoas dizem que o kumbayá é para quem está querendo parar de fumar. Por que ele é tão bom para pessoas que querem se livrar desse vício?

Acho que o kumbayá propõe outra relação com o fumar. Pede uma ritualização mínima: parar um pouco, olhar as ervas, enrolar. Por isso começa a transformar a relação que se tem com o fumar, com o cheiro e naturalmente afasta do cigarro.

Vocês acham que o kumbayá é somente para quem quer parar de fumar? Ou também pode ser usado recreativamente? E espiritualmente?

Bem, isso vai da intenção que se coloca no fumar, da consciência da pessoa, do processo dela.

Falando nisso, vocês têm alguma orientação espiritual?

Difícil responder essa pergunta. Religiões poéticas, prática diária, cuidado e leituras. Vem isso em mente.



Vocês têm um site para que as pessoas tenham acesso ao kumbayá de vocês? Ou só pelo Facebook?
Ainda não temos, por enquanto só pela página do EtaBacoDanado.

Conheci vocês pelo grupo “Compro de quem faz das minas”, no Facebook. Para vocês, qual é a importância de grupos como esses?

É bem legal ver que é possível mobilizar uma rede que fortalece e incentiva tantos trabalhos autônomos.

Algum recado que queiram mandar para leitores e leitoras do blog ou querem falar de algum assunto que eu não tenha abordado?

Gostaria de falar que o princípio de tudo isso, pra além do comércio, é maior. O retorno é muito imaterial, de entrar em contato com as plantas. No chá, no fumo, no banho. Tem muito a ver com a gente ter ampliado a nossa relação com as ervas no dia a dia. Em outro momento, começamos essa pesquisa com as plantas e a poética. Um resumo de todo esse processo foi O Reino do Preto Solar. Aprendemos a fazer terrários, cosméticos naturais, brincamos com imagens, encontros e um filme. A relação que a gente tem desenvolvido com o kumbayá é a mesma: viver a afinidade do corpo com as plantas.

Bom, eu adorei ter feito a entrevista com as meninas. E o kumbayá delas é realmente maravilhoso!

Agora, a novidade: depois de ter conhecido um pouco do trabalho da Mercedes e da Mayara, a partir da semana que vem vocês vão conferir, aqui no blog, posts especiais com as ervas contidas no kumbayá: sálvia, damiana, camomila, jasmim, calêndula e tabaco. Aguardem e confiram!



domingo, 16 de agosto de 2015

Sorvete de manjericão


Manjericão colhido em nosso quintal para fazer o sorvete


Este sorvete de manjericão é muito fácil de fazer. Basta bater no liquidificador os seguintes ingredientes:

1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
1/4 de xícara de folhas de manjericão lavadas

Deixe essa mistua no freezer por no mínimo cinco horas, em um pote tampado com um filme plástico.

Depois desse tempo no freezer, você pode fazer de duas maneiras:

1) Retirar o sorvete do freezer e servi-lo como se fosse um picolé.

2) Retirar o sorvete do freezer, bater tudo no liquidificador e voltar para o freezer um pouco antes de servir, para dar a um pouco mais de consistência de sorvete.

Se quiser fazer também uma calda de morango, há duas maneiras de fazê-la.

1.       1) Mais natural: lave e pique os morangos e bata-os no liquidificador com um pouquinho (mesmo!) de água. Depois, é só jogar esse purê por cima do sorvete.


          2) Mais doce: lave e pique os morangos, coloque-os numa panela com um pouco de água e açúcar a gosto (pense na quantidade para fazer uma caldinha). Não deixe os pedacinhos da fruta se desmancharem. Espere amornar e jogue essa calda por cima do sorvete.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Bistrô Ó-Chá

Uma das coisas que eu adoro fazer é conhecer novas casas de chá. Por isso, eu e minha amiga Ana Karina fomos ao Bistrô Ó-Chá, na região da Vila Madalena, em São Paulo (Rua Auspicuelta, 194), no último sábado.

Trata-se de um lugar muito agradável, com decoração vintage, cheio de almofadas coloridas, bules e acessórios fofos, e moças muito educadas e simpáticas nos atenderam por lá.

Para almoçar, o preço é um pouco salgado (em média 45 reais cada prato), mas também há lanches e doces deliciosos no cardápio que saem mais em conta. Eu optei por um sorvete de arroz doce que estava simplesmente divino!!! (Dá água na boca só de lembrar dele...)

Eles também servem café da manhã e da tarde, mas aí preciso fazer uma outra visita para poder falar mais.

Nos fundos da loja, há uma loja de chá. Comprei os dois abaixo e, olha, que difícil para uma libriana escolher só isso no meio de tantas opções deliciosas! O preço dos chás se inicia com R$ 32,00 por 50 gramas. A lata em que o chá vem acondicionado é bem bonita, como vocês podem ver.



Templo do Céu  foi o meu preferido. Ele leva chá oolong, nozes, amêndoas e suco de acer. É simplesmente divino! O outro, de caramelo, tem sabor bem suave.

A parte engraçada desse passeio é que, por incrível que pareça, não tomamos chá no bistrô! Comemos, bebemos, mas não tomamos uma gota de chá lá. :-D

Aguardem, pois, no caminho de volta pra casa, vimos uma outra casa de chá por perto e em breve quero visitá-la também.

E você, conhece alguma casa de chá? Deixe o nome do lugar aqui nos comentários, conte como foi sua experiência!

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Sorteio na página do Mulher Verde no Facebook

Quer ter a chance de ganhar um livro infantil
 do blog Mulher Verde?

Este livro logo aqui embaixo?


Acesse a página do Mulher Verde no Facebook aqui, siga as orientações e concorra!

BOA SORTE!!!

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Horta Comunitária e Agroecológica da Casa da Lagartixa Preta (SP)

A Casa da Lagartixa Preta é uma iniciativa muito legal do pessoal anarquista na região do ABC de São Paulo. Eles sempre promovem cursos e atividades por lá.

Agora eles criaram uma horta comunitária e agroecológica!!!

Toda segunda-feira, a partir das 9 horas, você pode aparecer por lá e trocar mudas, sementes, ajudar na manutenção, trocar informações sobre plantas etc.

Mais informações você consegue na foto abaixo.

sábado, 27 de junho de 2015

O inverno e a arte perdida de escrever cartas





Estava arrumando meus materiais de papelaria, há cerca de 15 dias, e descobri que tinha muitos carimbos espalhados por cada cantinho da casa. 

Peguei uma linda caixa em forma de livro que ganhei como presente de despedida dos meus colegas em uma das últimas editoras em que trabalhei (a caixa tem a forma de um livro antigo de Jane Austen, Pride and Prejudice) e coloquei todos eles lá dentro, juntinhos, ao lado de carimbeiras que adquiri há muitos anos e também de uma carimbeira nova, azul e vermelha, que funciona com um mero apertar de botões, que adquiri na loja virtual Veio na Mala

Esses carimbos me fizeram lembrar que eu adoro escrever cartas. Sempre gostei. E neste inverno gelado vejo que não tenho motivos para ficar só na saudade das cartas trocadas.

Sobre essa arte perdida de escrever cartas, posso dizer que tudo começou com um anúncio que coloquei nos classificados da revista Rock Brigade. Ganhei novos amigos de todas as partes do Brasil. Depois, quando comecei a fazer o zine Paraphernalia, os amigos atingiram dimensões internacionais. Houve meses em que cheguei a postar cerca de 50, 60 e até 80 cartas no correio. Hoje não me vejo trocando tantas cartas com tantas pessoas, pois o tempo é escasso e eu prefiro qualidade à quantidade.

Trocávamos cartas, impressões sobre música, política, bandas, fitas cassete (ok, revelei minha idade agora), zines, livros, flyers, anarquismo, feminismo... Algumas dessas pessoas sumiram da minha vida, infelizmente, mas outras são amigas até hoje, por meio das redes sociais.

Mas, com a Internet, as cartas ficaram escassas. E eu ainda sinto uma vontade danada de escrevê-las. Da espera ansiosa e saudável para receber uma resposta (que não tem nada a ver com a ansiedade doentia de receber logo uma resposta, seja pelo celular ou pelo computador). Dos selos, dos papéis selecionados para cada amiga ou amigo em particular. Da alegria de ver algo palpável que chega nas mãos de um homem chamado carteiro. (Agora me lembrei de quando mandávamos algo mais valioso pelos correios, como um CD, por exemplo, e escrevíamos um bilhetinho no envelope: “Senhor carteiro, por favor tenha cuidado: conteúdo frágil”. Santa inocência.)

Esta semana, utilizando as mensagens de voz do WhatsApp (porque, querendo ou não, a Internet e a telefonia ceular nos conectam com pessoas das mais diversas distâncias), eu a Iony, do blog Alma Rubra, falávamos sobre as cartas que já trocamos e as que ainda vamos trocar. Queremos resgatar essa arte perdida, e é por isso que eu lhe convido para vir conosco neste retorno saudoso das cartas.

Se você quiser receber uma carta minha, são duas as opções:

      1)  Pode me escrever primeiro, e eu lhe respondo.

      2) Pode me mandar seu endereço e eu escrevo uma carta para você.

Minhas amigas mais próximas, é claro, já têm meu endereço, mas, se você não tiver, peça pelo e-mail doitherself@gmail.com. Aliás, este não é um post apenas para as amigas e os amigos mais próximos (embora saibam que são muitíssimo bem-vindos). A ideia é conhecer gente nova também.

Neste inverno, vamos resgatar esta arte perdida. De preferência escrevendo com um chazinho bem quente do lado, ou escrevendo debaixo do cobertor quentinho, ou seja lá como você quiser.

Vamos nos reconectar de uma outra maneira. Para alguns, talvez antiga e demorada, mas, em minha opinião, ainda válida. O convite está feito. (E você pode aguardar mais postagens sobre a arte de escrever cartas aqui no Mulher Verde…)

terça-feira, 16 de junho de 2015

Feitiço de Amor da Lua Nova



Cor do dia: Vermelho
Incenso do dia: Gerânio
 
Gerânio
 
Esta Lua Nova de junho é um momento auspicioso para começar um feitiço de amor. Para fazê-lo, você deve criar um sachê para atrair o amor para a sua vida da. Comece a fazer este feitiço um pouco antes de escurecer. Você vai precisar de 1 folha de manto-de-nossa-senhora, 1 folha e algumas flores de 1 gerânio vermelho, além de algumas pétalas de rosa vermelha.

Depois de juntar todas as plantas, coloque-as no centro de um retalho quadrado de tecido vermelho. Concentre-se em sua intenção de atrair o amor para sua vida à medida que amarra as pontas do tecido com uma fita branca.

Quando ficar escuro, vá para fora de casa e segure o sachê em direção ao céu enquanto diz:


Com estas três ervas assim
Mande o amor para mim

 
Esconda seu sachê até chegar a Lua Cheia. Neste dia, polvilhe o conteúdo do sachê na terra, sob a Lua Cheia, como uma oferenda à Natureza e à Deusa.

 
Traduzido e adaptado de: http://www.llewellyn.com/spell.php?spell_id=5982.

domingo, 14 de junho de 2015

Nosso jardim no outono

Esta casa, em que eu moro há menos de um ano (acho que já disse aqui), não era minha antes. Ela era de um casal muito simpático, que infelizmente já partiu.

Quando vim para cá, mantive as plantas que já moravam nesta casa antes de mim.

Neste meu "quase aniversário" de casa nova, fui abençoada com flores de maio e tamanquinhos de princesa. Seguem as fotos. E espero que, neste outono, seu jardim esteja tão florido quanto o nosso!







sexta-feira, 5 de junho de 2015

Runa Naudhiz


Efeitos mágicos

* Cria ordem e aumenta a força de vontade

* Desenvolve o poder mágico e espiritual, ensina a perseverança e a resistência

* Usa a força de resistência para objetivos mágicos

* Desenvolve a paciência e a renúncia, fortalece a confiança e a fé

* Auxilia nas práticas de concentração e introspecção


Fonte: Mirella Faur, Mistérios Nórdicos - Deuses, Runas, Magias, Rituais. São Paulo: Pensamento, 2007.

Utensílios para herbalistas - Tesoura para ervas


Eu ainda não conhecia esta tesourinha, perfeita para herbalistas e também para quem cozinha com ervas. Trata-se de uma tesoura com 5 lâminas que torna mais fácil a tarefa de picar ervas como cebolinha, por exemplo, como se vê na foto. Mas também dá para usar com salsinha, tomilho...

Encontrei em sites estrangeiros, mas vi que no Mercado Livre tem um monte de gente vendendo, com preços que vão, em média, de R$ 12,00 a R$ 35,00. Algumas vêm até com capinha para guardar a tesoura.

Em breve pretendo comprar uma e depois conto para vocês como foi a experiência de usá-la.

Se você já tem uma, conte pra gente nos comentários se gostou ou não...

domingo, 31 de maio de 2015

Manjericão, por Denise Maria Cordeiro (Jardim Interior)

Planta suculenta anual com cerca de 50 cm de altura (sim, as minhas estão desse tamanho!). Origem: Índia. Existem inúmeras variedades. O nome vem do grego basilikon, que significa "erva rainha". Para os hindus, que deram início ao seu cultivo, o manjericão tinha a essência divina e, por isso, nos seus tribunais, os juramentos eram feitos sobre a planta. Introduzida no Egito há 4 mil anos, expandiu-se também no Império Romano. Encontrado no túmulo de Cristo, depois da ressurreição, foi adotado pelas igrejas ortodoxas, tanto para preparar a água benta como em vasos deixados debaixo do altar. No Haiti, é um símbolo de proteção que acompanha a deusa pagã do amor Erzulie.




Cultivo: Em solo bem arejado e úmido, protegido do vento. Sol quente, evitando o do meio-dia. Pode ser cultivado em vaso. Deve ser regado no meio do dia e não ao entardecer. Se o tempo estiver muito quente, borrife as folhas.

Utilização: De sabor e aroma muito agradáveis, quente e penetrante, complementa o do alho. É um dos ingredientes mais apreciados para temperar molhos, salpicar em saladas, especialmente a de tomate. É a base do molho pesto e combina bem com muitos pratos. Muito usado também para aromatizar azeite e vinagre. As folhas geralmente são usadas inteiras; se for preciso, triturar ou picar com os dedos em vez de usar faca. Em pratos quentes, colocar o manjericão quando já estiver no fim do preparo, pois o sabor se perde com o calor. O chá do manjericão é digestivo. Em, mergulhando algumas folhas em vinho, durante algumas horas, obtém-se um bom tônico.

Aromaterapia: O óleo essencial de manjericão é tônico do sistema nervoso e sedativo. Pode ser usado em infusão, fricção, massagem, unguento e para repelir insetos. Combinam com óleos essenciais de bergamota, gerânio, hissopo, alfazema, alecrim, cipreste, cedro, limão, sálvia-esclareia, tomilho, orégano, tea tree e zimbro.

Fonte: 

CORDEIRO, Denise Maria. Jardim Interior - Oráculo das Flores. São Paulo: Pensamento, 2007.

Amar a si mesma também é ter atitude!


Manjericão - Jardim Interior (Oráculo das Flores)



CONSELHO DA CARTA

Um delicioso componente da culinária no mundo inteiro. Seu aroma, textura e sabor dão prazer ao paladar.

Reza a lenda que esta erva contém a essência divina. E é também uma poderosa erva do amor e da vaidade. As camponesas mexicanas carregam suas folhas junto ao corpo para atrair um pretendente.

Talvez o que esteja faltando um pouco nos seus relacionamentos seja um pouco de tempero, uma novidade que encante e surpreenda. Use sua criatividade. Inspire-se no manjericão e veja o que acontece.




domingo, 3 de maio de 2015

A lenda da babosa



Há muito, muito tempo, na Etiopia, o povo vivia numa secura sem fim. As pessoas ficavam muito tristes porque sua pele ficava muito seca.

A babosa, que no início era uma planta seca por dentro, se compadeceu daquele povo e pediu à Mãe Terra para ajudá-los.

A Mãe Terra quis saber então por que a babosa queria ajudar aquele povo. A babosa respondeu que aquele povo era muito generoso, tratava a terra com respeito e só retiravam dela aquilo de que realmente precisavam. E, ainda por cima, não se queixavam do sofrimento em que viviam.

A Mãe Terra refletiu, viu que o povo cuidava bem de seus recursos naturais, e resolveu ajudá-los.

E então começou a estação das chuvas. O povo guardava a água dessas chuvas para os momentos de maior secura e maior necessidade.

A babosa então gritou: “Mãe, mãe! Achei uma solução para ajudar esse povo tão sofrido!”.

“Com toda essa chuva que tem caído, eu bem que poderia armazenar essa água dentro das minhas folhas, assim como as pessoas armazenam a água da chuva em potes e jarros!”

A Mãe Terra então perguntou: “Mas como isso ajudaria a melhorar a pele tão seca desse povo?”.

A babosa, muito triste por não ter uma solução para o problema das pessoas, mergulhou uma folha numa poça d’água, mexendo-a. Então, a resina de uma árvore próxima escorreu para a poça, ficando próxima da folha. Quando a babosa retirou a folha da água, ficou pendurada uma longa tira de gosma pegajosa.

“Eu já sei!”, disse a babosa muito animada. “E se o interior das minhas folhas fosse exatamente assim?”. E mostrou a folha grudenta para a Mãe Terra.

A Mãe Terra concordou com a babosa. Pediu que a árvore deixasse cair mais resina na poça e a babosa misturou essa resina com suas próprias folhas.

“Beba essa mistura e deixe que ela chegue até suas raízes, babosa”, disse a Mãe Terra. “Suas folhas se tornarão suculentas e espessas com essa mistura.”

O plano deu certo, e a Mãe Terra pediu que todas as babosas fizessem o mesmo. Todas as babosas ficaram então roliças e cheias de gel.

No dia seguinte, as pessoas notaram que havia algo diferente na babosa. Uma delas se abaixou e quebrou uma folha da babosa. O gel da babosa começou a escorrer, e todo o povo sorriu. Dali em diante, essa planta seria a solução para sua pele tão sofrida.

A partir daquele dia, as pessoas começaram a usar a babosa em sua rotina diária e sua pele se tornou macia e nutrida novamente.


sexta-feira, 1 de maio de 2015

Nutrição


Tem carta mais bonita pra tirar nesse friozinho, começo de outono?

A grande sacada não é só nutrir outras pessoas, mas a si própri@.

Isso me faz ter vontade de começar, hoje mesmo, fazendo um belo dum caldo verde!!!

E você? Tem se alimentado ou tem se nutrido? 

Tem feito refeições em família? 

Almoçado, jantado ou compartilhado algum alimento com amigas e amigos, parentes? 

Tem feito alguma coisa para aplacar a fome de alguém, principalmente no outono/inverno?



sexta-feira, 24 de abril de 2015

Marcas de expressão e aromaterapia - Receitas de Daiana Petry

Não sei se vocês ficaram sabendo, mas nas duas últimas semanas rolou um congresso virtual de aromaterapia chamado Conaroma. Foram apresentadas várias palestras legais, gratuitamente, e, ao fim do evento, quem quisesse pagava para ter acesso ilimitado a elas.

Uma das mais legais que vi era sobre marcas de expressão, da Daiana Petry, cujo nome era "O significado das linhas de expressão na medicina tradicional chinesa e seu tratamento através da aromaterapia".

Muito generosa, Daiana compartilhou com quem estava assistindo várias receitas, que agora reproduzo aqui.

Lembro que você deve escolher um dos blends (misturas de óleos essenciais) e colocá-lo num pote contendo 30 gramas de creme ou gel neutro e 10 gotas de óleo de rosa mosqueta.

Bigode Chinês
Causa: desgaste metabólico
1 gota de OE de manjericão
1 gota de OE de gengibre
1 gota de OE de olíbano ou mirra (este último, um rejuvenescedor muito potente, mais até que o OE de patchouli)

Testa
1 gota de OE de camomila azul
1 gota de OE de manjerona (trabalha o desapego)
1 gota de OE de patchouli

Rugas perto dos olhos
1 gota de OE de sálvia esclareia
2 gotas de OE de gerânio (ou erva-doce)
1 gota de OE de patchouli

Marca de expressão entre as sobrancelhas
Causa: irritabilidade, impaciência, intolerância
1 gota de OE de ylang-ylang
1 gota de OE de patchouli
1 gota de OE de gerânio
1 gota de OE de camomila romana

Você percebeu que o OE de patchouli está em quase todas as receitas? Segundo a Daiana, ele é rejuvenescedor profundo, e por isso está em quase todas elas.

Se você fizer alguma dessas receitas, conte pra gente sua experiência depois aqui embaixo, nos comentários! :-)

domingo, 19 de abril de 2015

Kit "Pequenos Jardineiros"

Quer dar um presente legal para uma criança e que de quebra ajuda a criar consciência ambiental?




Eis o kit Pequenos Jardineiros, publicado no Brasil pela Editora DCL. O kit é composto pelo livro Pequenos Jardineiros, um avental, um par de luvas e uma pá pequenininha, bastante adequada às mãos das crianças.

O avental, feito de TNT, não é tão bonito assim (na verdade, ele é apenas... simples!), mas a pazinha é a coisa mais linda, gente! As luvinhas, pelo tamanho diminuto, também são muito fofas.




O livro é muito caprichado e, nele, a criança vai aprender sobre como planejar seu jardim, como plantar sementes, como regar as plantas, além de cultivar morangos, cenouras e limão, só para dar alguns exemplos. 

Ele também ensina a fazer um minhocário, composteira e um espantalho, entre outras atividades classificadas como "jardinagem divertida". Agrada adultos e crianças, certamente. É muito ilustrado e colorido!




O kit custa R$ 49,90, mas tive a sorte de achar o meu por R$ 24,99 há um tempo atrás, numa promoção da Livraria Cultura.


domingo, 12 de abril de 2015

Sabonete e xampu sólido Fefa Pimenta

Quando eu comecei a aprender a mexer com ervas, aprendi também a fazer sabonetes naturais. Mas não gostava dos que eu fazia porque eles não tinham espuminha… Não que sabonete com espuma seja sinônimo de sustentabilidade, mas eu acho muito estranho tomar banho e não sentir uma espuminha nem nada. A impressão que eu tinha é de que passava o sabonete, mas continuava suja. 

Aí depois aprendi a fazer com espuminha, mas continha química, e aí eu me sentia culpada por usar porcaria na minha pele ou na dos outros.

Sempre quis aprender a fazer aqueles sabonetes legais com argila, mas não tenho o dom. E, quando não temos o dom, o melhor a fazer é adquirir de quem entende do assunto, e foi assim que cheguei nos sabonetes para o corpo e nos xampus sólidos da Fefa Pimenta.



A embalagem dos sabonetes, como vocês podem ver na imagem acima, é muito fofa, em papel e com cordinha de sisal, ambos biodegradáveis.

Eu escolhi o sabonete de argila branca com palmarosa e o xampu sólido de abacate e ervas. O interessante é que você não passa o xampu na extensão do cabelo, e sim apenas na raiz. A espuminha que sai é que você pode passar na extensão do cabelo. E, olhem, é tão refrescante!

Sempre passo condicionador (tenho cabelo duro, gente!), mas no primeiro dia em que usei o xampu sólido resolvi não passar. O cheiro do cabelo ficou uma delícia e deu para desembaraçar o cabelo numa boa mesmo sem o condicionador. 

Depois que secou, é claro, ficou uma cabeleira enorme. Quero perguntar para a Fefa agora se quem tem cabelo volumoso precisa tomar algum cuidado especial com o cabelo ou se ela indica algum outro xampu sólido, se bem que eu acho que o de abacate deve ser o ideal para nossos cabelos secos...



Não dá para vocês perceberem pela imagem acima, mas o sabonete é enorme. Dá para dividir em dois e, com boa vontade, até mesmo em três. E, se você deixá-lo secando depois do banho, ou seja, não deixá-lo numa saboneteira praticamente de molho, ele dura pra caramba!

O sabonete de argila com palmarosa é uma delícia e pode ser usado no rosto, no corpo e nas partes íntimas.


Além de vir numa embalagem bonitinha e ecológica, você tem acesso a todos os ingredientes do seu produto. De presente, veio um sabonete pequeno, que eu adorei. Super-recomendo!

Onde comprar: http://www.lojafefapimenta.com.br/




segunda-feira, 16 de março de 2015

Benefícios da damiana



Já faz um tempo que prometi postar aqui no blog uma receita de licor de damiana. Antes de fazer isso, para deixar você consciente da importância dessa planta, resolvi listar alguns de seus benefícios, como um "esquenta":

  • Aumenta a energia em geral
  • Possui propriedades antidepressivas
  • Reduz a ansiedade
  • Reduz os efeitos do cansaço
  • Ajuda a melhorar a disfunção erétil e a anorgasmia
  • Ajuda a aumentar o fluxo de sangue nos órgãos sexuais e os estimula
  • Afrodisíaca
  • Ajuda a tratar distúrbios sexuais
  • Aumenta a contagem de esperma nos homens
  • Ajuda a equilibrar os hormônios
  • Ajuda a melhorar infecções no trato urinário
  • Ajuda a tratar asma e bronquite
  • Ajuda a aliviar cólicas
  • Ajuda a tratar constipação



 E aí, preparad@s para aprender a fazer o licor de damiana?

sábado, 7 de março de 2015

Babosa e seus usos medicinais




Continuando os textos sobre a babosa...

Bom, sei que muita gente vai perguntar que tipo de babosa podemos usar. E vocês têm razão, porque existem muitos tipos de babosa (para ser precisa, há cerca de 240 tipos de babosa no mundo). A que podemos usar, tanto na alimentação quanto na cosmética, é sempre a Aloe vera barbadensis. Aliás, vamos começar com uma curiosidade: sabia que "aloe", em sânscrito, significa "deusa"e "vera", em latim, significa "verdade"? Também descobri nas minhas pesquisas que, no árabe, "alloeh" significa "substância muito amarga".

Hoje vou escrever um pouco sobre as propriedades medicinais da babosa. 

Talvez você já tenha ouvido que ela é boa para passar em queimaduras, cortes, no cabelo... Tudo isso é verdade. Ela também pode ser usada no combate à acne, em casos de dermatite e psoríase. Internamente, ela também ajuda na digestão e é uma boa planta para quem tem problemas intestinais, mas, nesse último caso, deve ser utilizada com muita parcimônia.

A babosa é uma ótima fonte de vitaminas e minerais. Ela contém as vitaminas A, B1, B2, B3, B6, B12, C, E, ácido fólico e os minerais cálcio, cobre, ferro, magnésio, manganês, potássio, sódio e outros. 

Entre as muitas qualidades da babosa, ela é principalmente considerada antibacteriana, antifúngica, anti-inflamatória, demulcente, emenagoga, emoliente, laxativa, purgativa e rejuvenescedora.

Nas queimaduras e machucados, o gel da babosa ajuda a cicatrizar a pele rapidamente e, ainda por cima, por conta de suas características anti-inflamatórias, ajuda a criar uma barreira protetora no machucado.

A babosa também pode ser usada internamente, mas tome cuidado com a dosagem, porque, em grandes quantidades, pode causar cólica intestinal. Pessoas com doença de Chron devem ter cuidado redobrado, pois a babosa pode ser muito forte para elas. Mulheres grávidas não devem tomá-la porque ela estimula o útero e pode causar contrações.

Existem bebidas prontas, mas o ideal seria ter uma babosa fresca em casa e usá-la dessa maneira. Veja, a seguir, um vídeo que ensina direitinho a retirar o gel da babosa:



No vídeo diz-se que é para lavar o gel a fim de tirar a a alantoína (gel amarelo extremamente laxante e um antibiótico muito forte) da babosa. Você também pode tirar a babosa do pé e deixá-la emborcada de um dia para o outro. Esse gel amarelo sairá sozinho. Se não sair, faça como no vídeo e lave a babosa. Uma curiosidade: esse gel da babosa é feito de 99% de água!

No próximo post, quero escrever um pouco sobre as propriedades mágicas da babosa. Fiquem ligad@s!