sábado, 29 de agosto de 2020

Resenha: Witchcraft Cocktails




Estava eu pesquisando livros infantis para fazer um trabalho quando dei de cara com este lançamento. Na hora, fiquei desesperada para lê-lo. Sou uma eterna estudante de herbalismo e nunca tinha visto um livro sobre coquetéis com esse viés da bruxaria.

Pensei que encontraria, como se diz na capa, “apenas” 70 receitas simples de coquetéis, mas o que achei dentro do livro foi mais sensacional ainda!

A Parte 1 do livro apresenta um texto introdutório sobre o uso do álcool na bruxaria, ou seja, como os coquetéis podem ser usados como oferendas espirituais.

Depois, são apresentados os tipos de álcool com que um bartender trabalha, bem como suas principais ferramentas e técnicas de uso no dia a dia.

Em seguida, são apresentados conceitos básicos de bruxaria, como planetas, signos, estações, chacras, pedras e ervas. Percebe-se que se trata apenas de uma revisão básica, para quem não conhece quase nada sobre o assunto.

No final desta parte, há algumas receitas que servem como base dos coquetéis que serão apresentados na parte seguinte, como xarope simples, grenadine e xarope de mel, entre outros. 

As receitas são fáceis e, logo após o título da bebida, cada uma vem com seus objetivos mágicos. Por exemplo, temos um xarope de louro e laranja para ter força, sucesso e seus desejos se realizarem, e um xarope de rosa e hibisco para “adoçar” alguém.

Na Parte 2, a festa começa de verdade! Divididas por estações do ano, há coquetéis voltados para deidades (como Perséfone), para fases da lua e por aí vai. No início de cada receita, as energias às quais cada coquetel está associado. No fim de cada receita, com o mote de “técnicas avançadas”, há sugestões de como potencializar as bebidas com pedras e cartas do tarô.

No inverno, minha receita preferida é The Lovely Lady, que leva papaia e o xarope de mel, hibisco e rosas, que foi ensinado na Parte 1 do livro como base. E também o Sake of the Inner Child (Saquê da Criança Interior), com a base de grenadine ensinada na Parte 1.

Todas as receitas vêm acompanhadas por fotos.

Como ponto negativo, há ingredientes que não fazem parte de nossa cultura, sejam em termos de ervas ou de bebidas, como a Kahlúa, que compõe o Milk Moon Beautifier, da qual nunca ouvi falar. Alguns pagãos também podem se ser sentir desagradados com uma receita cujo mote é um santo cristão.

No apêndice, há muitas receitas de bebidas tradicionais, como Bloody Mary.

Seus rituais nunca mais serão os mesmos com estas bebidas que parecem ser deliciosas!

PS: Recebi este e-book da editora original para fazer a resenha. 

 

 



domingo, 24 de maio de 2020

Cidra de fogo - Parte 2 - Fotos

Há um tempo, postei aqui no blog sobre como fazer a cidra de fogo. 
Queria fazer um agradecimento especial a duas amigas que toparam embarcar nesta comigo e fizeram suas próprias cidras: a Lhayra e a Michelle Duarte.

Abaixo, você vê as lindas fotos da cidra de fogo da Lhayra, enquanto ela estava fazendo a sua.








Michelle é vegana, então substituiu o mel pelo cravo, por conta de suas propriedades anti-infecciosas e, para adoçar, usou o melado. Veja a seguir como ficou a cidra dela.




Agora, vou mostrar para vocês meus dois vidros de cidra de fogo. 

O primeiro, mais escuro, foi feito com vinagre orgânico. O outro, com vinagre normal, encontrado em mercados. Vejam a diferença na cor.








Hoje, aqui em São Paulo, apesar de ainda ser outono, está um frio danado. Já tomei minha colherinha diária de cidra de fogo para me proteger da gripe. E você?





sexta-feira, 24 de abril de 2020

Blend de aromaterapia para acalmar os nervos




Como tem sido a quarentena de vocês? Muita ansiedade? Nervoso?

Para quem estiver experimentando essas sensações e quiser um pouco de alívio por meio da aromaterapia, segue a receita de um blend que ajuda a acalmar os ânimos um pouco:

5 gotas de óleo essencial de lavanda
5 gotas de óleo essencial de tangerina OU limão OU laranja
3 gotas de óleo essencial de sálvia esclareia
2 gotas de óleo essencial de cedro

Continuem se cuidando e, se puderem, não saiam de casa!

Revitalizar


Estamos todos enclausurados em casa, em nível mundial. Um novo vírus, popularmente chamado de "corona", fez isso com a gente. 


Tenho sorte, pois posso trabalhar da minha casa e ainda tenho dinheiro para comprar alimentos. A única coisa que me faltou foi gás de cozinha, pois as pessoas, em seu egoísmo infinito, compraram tudo para fazer estoque, deixando outras pessoas, como eu, sem nada por quase duas semanas.

Resolvi tirar uma carta do oráculo Tree Wisdom Cards. E foi esta a que veio:





Revitalizar...


Como criar vida novamente no meio de um período com tanta doença, com tanta morte?

Parei pra refletir e vi que tenho tentado tirar vida de tudo o que está ao meu redor. 

Por exemplo, meu namorado me ajudou com um sonho antigo: ter uma composteira. Agora, todo resíduo orgânico da minha casa vai para ela. Logo (espero) teremos chorume e eu poderei usá-lo em minhas plantas.

Também ando muito feliz comigo, pois tenho reciclado cada vez mais lixo. Na verdade, eu sempre o fiz, mas era muito condescendente. Jogava um plastiquinho aqui, outro ali no lixo comum. Agora, nada escapa na minha coleta seletiva. A cada quinze dias, o caminhão passa na minha rua e leva daqui de casa um sacolão com papel e plástico.


Eu sei que o ideal seria consumir menos para gerar menos lixo. E por isso nessa quarentena resolvi guardar muitos potes plásticos para tirar mudas de plantas, inspirada pela Carol Costa, do Minhas Plantas.

Mais um exemplo: hoje descasquei um abacaxi. Retirei tudo o que havia de vida ali. Fiz um suco delicioso para mim e para o
 meu filho almoçarmos. Congelei o que sobrou do suco. Das cascas, fiz um chá maravilhoso (um litro só com o chá da casca do abacaxi e um outro litro com chá da casca de abacaxi + cravo e canela em pau).

Tomei um pouco do chá, e o que sobrou foi pra geladeira, pra ser tomado depois.

As cascas viraram adubo.


Ah, e a coroa? Deixei num potinho com água para ver se cria raiz e eu consigo plantar num vaso.

Eu aproveitei toda a vida que havia no abacaxi. E tenho um orgulho danado disso.

Não ao desperdício, sim à vida!

E você? Como têm se revitalizado neste período tão difícil?


sábado, 8 de fevereiro de 2020

Pó para limpeza de tapetes

Choveu o fim de semana passado todinho. Em geral, costumo colocar meus tapetes no sol aos fins de semana, mas, por conta do clima, não pude fazer isso.

E então... Sabe quando você começa a achar que tem um cheiro estranho vindo do tapete?



Eu detesto quando isso acontece. E, como eu procuro solução para tudo o que me incomoda, resolvi fazer um "pó de limpeza" para o meu tapete. Eu já tinha visto várias receitas por aí, nos meus livros e em alguns sites, mas criei a minha própria, com as quantidades a olho mesmo.

Do que você vai precisar:

  • Bicarbonato de sódio
  • Amido de milho (a tradicional Maizena)
  • Óleos essenciais


Eu botei 1 parte do bicarbonato, 1 parte da Maizena e umas 10 gotas de óleo essencial. Mas nada disso tá escrito na pedra.

Tem gente que usa só o bicarbonato, tem gente que não usa a Maizena (eu coloquei para render mais). E a quantidade de óleo essencial é você quem escolhe. É claro que você não vai encher de óleo essencial, né? Bom senso sempre...

Misturei tudo, deixei secar um pouquinho e joguei por cima do tapete.

Deixei agir por 30 minutos (mas você pode deixar mais tempo se preferir) e depois passei o aspirador. Não tem aspirador? Passe a vassoura mesmo.

O bicarbonato ajuda a tirar o cheiro desagradável. Os óleos essenciais perfumam e, se você manjar do assunto, podem até auxiliar terapeuticamente. Se quiser mais calma naquele ambiente, por exemplo, vale colocar óleo essencial de lavanda. Eu usei melaleuca e hortelã-pimenta.

O tapete ficou limpinho e a sala, cheirosinha. <3 font="">


domingo, 2 de fevereiro de 2020

Cidra de Fogo

Já ouviu falar da cidra de fogo, também conhecida como "fire cider"?

A primeira vez que ouvi falar dessa receita foi por causa da herbalista Rosemary Gladstar (sim, sou apaixonada por ela, como muit@s de vocês já sabem). Ela, aliás, lançou um livro só sobre a cidra de fogo, em inglês, cuja capa reproduzo abaixo para vocês.



Aliás, por uma enorme coincidência, acabei de descobrir que hoje, dia 2 de fevereiro, é considerado o Fire Cider Day (Dia da Cidra de Fogo).

Há um tempo atrás, fiquei chocada por ver que uma empresa queria "patentear" essa receita, que faz parte do repertório popular de muitos herbalistas. Três mulheres herbalistas norte-americanas enfrentaram essa empresa, processaram e... ganharam no fim do ano passado, para nossa felicidade! O termo "fire cider" foi considerado de uso genérico e, portanto, não pôde ser patenteado. Para saber mais sobre essa história, clique aqui (em inglês).

Nesses tempos de coronavírus, vale a pena fazer e usar esta receita, que ajuda a aumentar a imunidade. Além disso, é considera anti-inflamatória, antibactericida e antiviral. Nos países do hemisfério norte, é comum tomar a cidra de fogo para evitar gripes e/ou diminuir sua duração.

Quer aprender a fazer? Veja uma receita a seguir!



1/2 xícara de raiz-forte fresca fatiada ou seca
1/2 xícara de cebola fresca fatiada
1/4 de xícara ou mais de alho fatiado fresco
1/4 de xícara ou mais de gengibre ralado fresco
Pimenta caiena, fresca ou seca (em pó)
Mel
Vinagre de maçã (se puder ser orgânico, melhor ainda)

Coloque todos os ingredientes num pote de vidro e cubra com vinagre de maçã. Feche bem o pote.

Deixe esse pote em um lugar quente por um período de 3 a 4 semanas. Sacuda diariamente para ajudar no processo de maceração.

Após o período, retire os sólidos e reserve o líquido.

Coloque a pimenta caiena e use um pouco de mel para adoçar (você pode esquentar o mel apenas um pouquinho antes).

Mantenha esse líquido no armário ou na geladeira por meses.

Para manter-se saudável, tome um copinho pequeno por dia, como se fosse um tônico. Se sentir que vai gripar, tome uma ou duas colheradas a cada 3 ou 4 horas.

Há receitas diferentes dessa, pode ter certeza. Tem gente que acrescenta laranja, tem gente que acrescenta canela, tem gente que acrescenta ginseng. Nenhuma delas está "errada", vale dizer.

Se fizer, me conta como foi sua experiência? Se ajudou no caso de gripes e resfriados? Aguardo seu relato nos comentários!


sábado, 18 de maio de 2019

Flor de maracujá (Passiflora incarnata)

Quando pequena, sempre via em casa um vidrinho de remédio escrito Passiflorine. Eu sabia que minha avó e minhas tias tomavam esse remédio quando estavam nervosas.



Esse remédio era feito da flor de maracujá, também chamada de passiflora. Ela ajuda a acalmar e também induz ao sono. É indicada para casos de estresse, ansiedade e irritabilidade. 

Suas principais indicações são: fadiga, insônia, dor no estômago causada por nervoso, depressão, cólicas, convulsões, sintomas da menopausa, asma, hiperatividade, fibromialgia e batimentos cardíacos irregulares.

Para uso interno, tome o chá ou tintura. Como tintura, use de 15 a 60 gotas diluídas em água. Para crianças, em caso de hiperatividade, dar de 3 a 10 gotas diluídas em água a cada 30 minutos até obter o resultado desejado.

Como cosmético, pode ser usada na pele, no cabelo e no couro cabeludo, em forma de óleo, tintura ou unguento.

Como esta erva pode causar contrações uterinas, evite use na gravidez. No entanto, no livro Mood Topia, a autora Sara-Chana Silverstein indica seu uso para uma grávida que sofria de insônia.

Caso vá passar por alguma cirurgia, não a utilize também, pois ela diminui os efeitos da anestesia. Neste caso, pare de tomar 3 semanas antes de operar.

Se for fazer alguma prova, ou alguma outra atividade em que precise de concentração, como operar máquinas, não a utilize também.

A flor de maracujá também costuma potencializar o poder de medicamentos tranquilizantes, então tome cuidado.

Um blend interessante que pode ser tomado de uma a duas horas antes de dormir.

1 colher de erva-de-são-joão
1 colher de flor de maracujá
1 xícara de água fervendo

Jogue a água fervendo por cima das ervas. Espere 15 minutos para tomar.

Você também pode combinar este chá com camomila, tília ou outra erva calmante. E até mesmo fazer um chá só da flor de maracujá, adicionando limão e mel, por exemplo.

Quanto aos usos mágicos, a flor de maracuja, segundo o site Magical Recipes Online, pode ser usada para:

* Trazer uma pessoa apaixonada para sua vida
* Trazer mais paixão para sua vida
* Em feitiços que envolvam homens gays (pela semelhança da planta com o pênis)
* Para acalorar um relacionamento morno
* Em rituais para abençoar a casa
* Para trazer paz a uma casa
* Para enviar de volta ao local que pertencem os "hábitos ruins" que você alimenta com paixão
* Para acalmar um "amor brutal"

Trata-se de uma erva a Vênus e, em alguns livros, diz-se que tem efeito afrodisíaco.


sábado, 16 de março de 2019

Minha deusa em 2019: Maeve


Todos os anos tiro uma deusa, de algum dos oráculos que tenho em casa, para me acompanhar e, acima de tudo, me guiar.

A deusa de 2019 não poderia ser outra: a rainha Maeve! 

'Maeve' by Maxine Miller. Maeve is a goddess to be reckoned with. Her name translates to "she who intoxicates". Indeed, she was reknown for her prodigious appetites for sex, power, and drink. Honey wine, or mead, is named for her. A great warrior queen, she coveted the famous brown bull of Ulster. She schemed and wreaked havoc until he was hers, not to be denied her desires. She embodies obsession, addiction, bloodlust and battle. She is the progenitor of Maab, the English queen of the fairies.

Assim como os librianos, Maeve é diplomática. É forte, prática, estratégica, hospitaleira. É uma deusa orgulhosa e controladora, produtiva e inteligente. Vive no presente. Não é boa nem má. Não é um modelo a ser seguido.


Maeve representa o potencial que há em todos nós. É chamada também de Deusa da Intoxicação, pois sua presença é intoxicante e ele é movida por pura paixão. Outros nomes desta deusa, caso queira pesquisar mais sobre ela: Maev, Maive, Maebh, Medb, Meadb, Meadhbb, Méabh, Medbh.

Nunca se satisfez com um homem apenas, motivo pelo qual teve vários amantes. Todos deviam ser generosos nos presentes, corajosos na batalha, ter a mente aberta e serem confiantes na cama. Um fato interessante é que seus amantes morrem, mas não a deixam. O amor de Maeve é poderoso e altera mentes.



É uma deusa apaixonada, uma força que não pode ser contida. Para 
Maeve, não há desculpas. Você deve fazer suas escolhas e viver com as consequências. Completamente livre em sua selvageria, Maeve não fica remoendo o passado. Vai em frente, com intento, em direção ao futuro, mas vive apaixonadamente o presente.

É cheia de vida e nos ensina a aceitar todos os nossos aspectos como partes necessárias do nosso espírito. Ama indiscriminadamente e mata com poder. Maeve sabe que ela é a Rainha.

Maeve ensina que tudo vale a pena. Que merecemos ter objetivos e sonhos. E que cada momento na vida é precioso.



No livro que acompanha o Oráculo da Deusa, há as seguintes questões para reflexão:

* Existem pontos dentro de você que parecem incertos como águas desconhecidas?

* Você parece viver no "automático", como se tivesse sido programada por outra pessoa?

Por fim, ainda deste livro, deixo o seguinte trecho:

Maeve está aqui para lembrá-la de que o caminho para a totalidade é assumir a responsabilidade pela sua vida, seja ela como for. Somente quando você assumir a responsabilidade, reconhecer onde está, quem é você, o que você é, é que poderá criar algo diferente.

domingo, 17 de fevereiro de 2019

Lua Cheia em Virgem - Fevereiro de 2019

Depois de amanhã, terça-feira, dia 19/2, teremos uma Lua Cheia em Virgem.



Seguem algumas perguntas para reflexão nesta Lua Cheia:

1. Tenho sido muito crítica ou até mesmo pedante em relação a mim mesma ou em relação aos outros?

2. Tenho sido humilde ao ponto de me desvalorizar?

3. Estive a serviço de outras pessoas nos últimos tempos?

4. Tenho reclamado demais? Isso tem atraído algum tipo de negatividade?

5. Estou prestando atenção suficiente aos detalhes nos últimos tempos?

Que estas perguntas possam te ajudar a se conhecer um pouco mais!

Beijos e até a próxima!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

The Illustrated Herbiary (livro e oráculo)



Tarô não é minha praia, já falei mil vezes aqui. Mas não podem lançar um oráculo de plantas novo que eu fico toda arrepiada... Hahahahahaha!

Bom, quando vi a capa do The Illustrated Herbiary pela primeira vez, em agosto de 2018, pirei. Esperei chegar meu aniversário e me dei um exemplar de presente, mesmo sem ter a oportunidade de ver o produto de pertinho antes. Quando chegou, vi que tudo era ainda mais encantador do que na tela!

Não entendo de arte, mas o uso de cores é maravilhoso, com vários tons de dourado já na capa. As ilustrações de Kate O´Hara têm um jeitão de tatuagem old school, mas não sei nem mesmo se esse estilo tem um nome. Até a guarda do livro (aquela folha que "une" a capa do livro nas páginas internas) é linda, veja a seguir.




Bom, neste pequeno livro, de capa dura, a herbalista Maia Toll reuniu 36 ervas. Entre elas, há a margarida, a rosa, a valeriana, a artemísia, a erva-de-são-joão, o alecrim e muitas outras. 

A estrutura para cada erva apresentada no livro é sempre a mesma: 

1) uma página com a ilustração da planta; 
2) uma página com um pouco do folclore por trás da planta; 
3) uma outra página com um pequeno ritual envolvendo a erva; 
4) uma página com perguntas para uma reflexão pessoal.

E então temos o oráculo... O lindo oráculo!


Foto: Danielle Sales

As cartas vêm grudadas umas nas outras, em folhas, no fim do livro. Você as destaca e já pode começar a usar. No fim do livro, com instruções bem simples, há com três tipos de tiragem as cartas desse oráculo, ou seja, qualquer pessoa pode usá-lo tanto para se aprofundar nas características mágicas das plantas como para autoconhecimento. 

Na última capa há um "saquinho" de papel vegetal para guardar o oráculo, mas quero mesmo é arrumar um saquinho especial, de tecido mesmo, para guardá-lo. Porque algo me diz que este oráculo e eu seremos amigos durante muito tempo. Além disso, depois de destacadas, as cartas fazem um volume que deixa o livro meio aberto.

Veja a seguir duas cartas e um exemplo do verso das cartas (se reparar bem, o verso das cartas é igual à guarda que mostrei ali em cima).






The Illustrated Herbiary também está disponível em e-book, mas não vejo a mesma graça nesta versão por conta do oráculo. Quem comprou o e-book diz que há uma página com todas as cartas e é possível imprimi-las, mas eu mesma não posso confirmar essa informação.

Para saber mais sobre Maia, que é herbalista de tradição irlandesa, folclorista e tem uma loja chamada Herbiary, veja o site www.maiatoll.com

Para saber mais sobre o livro e o oráculo, veja este vídeo (em inglês): https://www.youtube.com/watch?time_continue=8&v=oAY7ZgxtjTQ