quarta-feira, 2 de julho de 2008

Mulheres e Alimentação no Globo Repórter

Estava eu em casa, numa dessas sextas-feiras da vida, quando vi a chamada para o Globo Repórter: seria um programa sobre mulheres e alimentação. Pirei na hora!

No primeiro bloco do programa, o programa mostrou uma mulher, empregada doméstica, que precisou fazer alterações na alimentação da família de acordo com sua renda.

Na casa dela não entrava mais tomate, e sim coloral. Em vez do feijão, que andava muito caro, ela havia inserido na alimentação dos familiares a lentilha (pensei comigo que a lentilha é mais cara do que o feijão, mas depois percebi que talvez ela renda mais e esse tenha sido o motivo da escolha).

Outra medida adotada por ela foi não usar mais óleo na alimentação. Apesar de ter sido uma opção por falta de dinheiro, ao mesmo tempo é bastante saudável e ela disse ter não sentido falta do óleo na hora de preparar o arroz, por exemplo.

Fiquei triste porque queria que as mulheres só precisassem fazer esse tipo de substituição por opção de saúde, e não por motivos econômicos. Mas ao mesmo tempo fiquei feliz em ver a força da mulher, que faz de tudo para continuar alimentando sua cria e sobrevivendo.

Depois, mostraram um grupo de mulheres, de uma região pobre em Minas Gerais, que se junta todo mês e vai para o centro de abastecimento de hortifruti da cidade e compra produtos mais baratos, com a ajuda dos comerciantes que lá trabalham. Elas mesmas negociam com os comerciantes (é bom lembrar que ganham vários “nãos” na cara) e carregam os sacos pesados na cabeça até o ônibus que as leva até lá. Quando voltam para casa, têm comida não somente para elas, mas também para as outras que lá ficaram e, muitas vezes, passam fome.

Num outro bloco, mostrou-se uma família que produzia tudo aquilo que comia. Belo exemplo, mas difícil para quem mora na cidade. Também foram mostradas feiras de troca de alimentos orgânicos.

Depois, fizeram uma entrevista com uma nutróloga, que deu dicas de ervas e alimentos que precisam estar em nossa alimentação, bem como o que estes podem fazer por nosso organismo:

* manjericão = ajuda no processo de envelhecimento
* hortelã = é boa para digestão e enxaqueca
* louro = baixa a glicose do organismo
* alecrim = bom para a memória
* espinafre = ajuda no crescimento das crianças (lembrou do Popeye?)
* repolho = fornece fibras para nosso corpo
* abóbora = ajuda quando temos náuseas
* jiló = desintoxicante do fígado
* chuchu = fortalece os ossos e é bom para o intestino
* banana
* abacaxi
* laranja
* mandioca
* inhame
* uva

O programa foi além, mas meu sono foi maior (rs) e eu caí no sono.

O link para assisti-lo: http://globoreporter.globo.com/Globoreporter/0,19125,VGC0-2703-19874-3,00.html

Danielle Sales

6 comentários:

Nana Odara disse...

Por aqui a moda são as hortas comunitárias... as pessoas se reunem e usam lotes abandonados pra fazerem uma horta da comunidade... Além de reunir os vizinhos em momentos descontraídos, brincam com a terra e ainda levam verduras e legumes fresquinhos pra casa, com zero de agrotóxicos...
Idéia pra germinar em todo lado...

Nydia disse...

Não costumo assistir tv aberta, mas o Globo Repórter quando resolve fazer matérias sobre nutrição e afins, arrebenta. Pena que perdi esse! Da sua lista de alimentos/ervas saudáveis só não costma entrar lá em casa jiló e repolho, por absoluta falta deafinidade de nós três. Ainda bem que dá pra substituir por outros... É uma barra os malabarismos que as pessoas têm que fazer para sobreviver e ao mesmo tempo tentar manter a saúde. Isso sem falar nos agrotóxicos que assombram vários alimentos básicos... Haja imaginação para resolver isso.
Beijos!

Luíza Frazão disse...

Gostei muito do seu blogue e vou linkar...

Abraço

Nydia disse...

E não é que aquela Green Woman tem tudo a ver com o seu blog mesmo? São pinturas lindas!! Chegou a ver os outros trabalhos do artista, no site dele? De cair o queixo...
Beijos, blessed be.

Inês Raven disse...

Hortelã é realmente ótimo para a digestão. Vale um chazinho depois do almoço...

Segundo a minha mãe, lentilha rende mais mesmo. E é uma delícia... :)

Ariany (Dhanna) disse...

passando para me atualizar e me deparo com otimos topicos!

Assisti a esse programa e achei interessante a mulher que começou a se aventurar e procurar novas opções na alimentação, no caso, a lentilha.

E não é mais caro não!

O feijão, dependendo do tipo, aqui em BH e tb em goias, chega a R$8,00 kg!

Eu compro lentilha, grão de bico entre outros grãos em uma loja arabe e por incrivel que pareça é mais barato.

Se vc comprar isso num supermercado comum será mais caro, mas em mercados especializados é um caso a se pensar!

Bjssss